Como se preparar para crises econômicas

icone calendario18.06.2015 - 18:47

Você já parou para pensar em como deve agir quando uma crise econômica afeta o país? É importante estar preparado para esse tipo de situação. Quando o preço das compras começa a ficar mais caro, as despesas básicas não cabem mais no bolso ou, até, corremos o risco de perder o emprego, o fato de estar preparado com antecedência faz muita diferença. Pensando nisso, o Blog da AIEC selecionou diversas dicas de especialistas que falaram aos jornais e sites de economia. Veja a seguir.

1. Desemprego

desemprego-grd– Se você acha que está correndo o risco de ficar desempregado, comece a fazer uma reserva financeira que mantenha seus gastos por no mínimo 6 meses. Esse é o tempo médio para se recolocar no mercado, segundo pesquisa da Catho.

– Se possível, reserve dinheiro suficiente para se manter por ainda mais tempo. Assim, no caso de desemprego, poderá ter mais tempo para esperar um emprego interessante ao invés de aceitar o que vier primeiro. Aquiles Mosca, do Santander, afirmou ao site Folha de São Paulo que o ideal é ter reserva para manter-se entre 8 a 10 meses.

2. Desperdício

compras-supermercado– Quando o problema é o aumento dos preços acima do salário, a dica é cortar excessos. Para isso, é recomendável começar a anotar exatamente tudo o que compra, assim será possível reconhecer para onde o dinheiro está indo e onde pode ser economizado. Amerson Magalhães, diretor da Easynvest, aconselha avaliar, por exemplo, se é melhor ter um carro próprio ou usar o transporte público.

3. Crédito

– Se precisar de crédito, tente recorrer a alguém que possa emprestar. Faça o máximo para evitar instituições financeiras e jamais recorra a agiotas.

– Evite usar o cheque-especial.

– Não utilize o crédito disponível de forma automática nos caixas eletrônicos. Eles costumam ter juros maiores do que os oferecidos em acordo direto com o gerente.

– Tome cuidado com empréstimos consignados, os juros deles também costumam aumentar. Além disso, para os funcionários da iniciativa privada, é importante avaliar o risco de desemprego devidos às crises econômicas.

4. Dívidas

– Se tem alguma dívida, esse é o momento para tentar renegociar. A tendência nessas situações é que os juros e multas aumentem cada vez mais.

– Se não pode pagar a fatura do cartão de crédito, recorra a outras fontes de crédito que não seja o próprio cartão. Não use o recurso de “pagamento mínimo”, existem formas de crédito com juros menores do que ele.

 5. Emprego

funcionário-feliz– Em tempos de crises econômicas é importante tentar se automotivar e ficar ainda mais engajado nos desafios da empresa. Nesses momentos os gestores valorizam ainda mais os que estão “vestindo a camisa da empresa”.

– Procure ampliar sua rede de relacionamentos enquanto está empregado. Ela pode oferecer uma oportunidade caso perca o emprego.

 

 

 

logo-aiec-facebookProfissionais preparados correm menos risco em tempos de crise.

Você já conhece os cursos de graduação da Faculdade AIEC?
Não perca tempo, venha conhecer. Clique aqui.

AIEC, ensino a distância levado a sério.

E então, o que você faz para lidar com crises econômicas? Conte pra gente. Deixe sua mensagem aqui no Blog da AIEC ou entre em contato conosco no Facebook.

 

Fonte: Folha de São Paulo | Catho | Jornal Extra