Confira as principais notícias de economia da semana

icone calendario18.10.2013 - 09:35

noticias-de-economia

Número de milionários no mundo vai crescer 50% em cinco anos

Até 2018, o mundo vai ganhar mais 47,6 milhões de milionários. Isso é o que aponta o Relatório da Riqueza Global, elaborado pelo Credit Suisse. Segundo estimativas do banco, o aumento, que será de 50%, será mais significativo ainda no Brasil, passando de 221 mil para 407 mil até 2018. Os Estados Unidos somarão daqui cinco anos 18,6 milhões de cidadãos com fortunas superiores a 1 milhão de dólares. De acordo com o relatório, 42% da população milionária se encontram no país.

 

Estados Unidos aprovam orçamento e garantem alívio para o mundo

O Senado dos Estados Unidos aprovou, na última quarta-feira (16), o acordo feito entre republicanos e democratas que pode reabrir os serviços públicos federais e elevar o teto da dívida do país, evitando dessa forma um calote nas contas públicas. O texto ainda precisa da aprovação do plenário da Câmara e da sanção do presidente Obama. Sem o acordo, o governo norte-americano não terá dinheiro para arcar com dívidas feitas com credores.

Clientes da Caixa ‘ganham’ cheque muito mais que especial

Um episódio curioso foi divulgado na última quarta-feira: diversos clientes da Caixa Econômica Federal encontraram nos extratos de suas contas jurídicas o valor de R$ 14,7 bilhões. O valor não estava creditado de fato na conta da pessoa, mas caucionado, ou seja, como cheque especial. Por meio de nota, a Caixa respondeu “que identificou a inconsistência no extrato de alguns clientes pessoa jurídica e está providenciando a regularização”. Segundo a instituição, os valores no extrato estavam caucionados e não houve nem crédito nem débito indevido na conta dos clientes.

 

Horário de verão poderá gerar queda de 0,5% no consumo de energia

Neste final de semana começa o horário de verão: à meia noite de sábado (19) para domingo (20) os ponteiros deverão ser adiantados em uma hora. E, de acordo com o Ministério de Minas e Energia (MME), a mudança, que dura até 16 de fevereiro, vai acarretar em uma economia em torno de R$ 400 milhões ao país.

 

O ministério prevê uma redução do consumo de 247 megawatts médios nos subsistemas Sudeste/ Centro-Oeste e Sul, o que equivale a 0,5% do consumo nos dez Estados brasileiros, mais o Distrito Federal. O estado de Tocantins não participará dessa edição, como no ano anterior. Para o secretário de energia elétrica do ministério, Ildo Grudtner, “o horário de verão permite aproveitar melhor a luz solar e evita um investimento em geração e transmissão que iria para as tarifas dos consumidores”.

 

Fonte: Exame/ G1