Veja 4 profissões do futuro (até 2025)

icone calendario19.04.2016 - 17:08

Muita gente acreditava que nos anos 2000 o mundo já estaria sendo operado por robôs. Não foi bem isso que aconteceu, mas, com certeza, houve mudanças significativas que só ocorreram graças à tecnologia. A questão é que os robôs não foram esquecidos e, segundo a FastCompany, revista americana especializada em tecnologia e inovação, dois terços dos americanos acreditam que robôs e computadores vão fazer boa parte do trabalho que hoje é feito por humanos. O relatório do Fórum Econômico Mundial 2016, “The Future of Job”, estima que 5 milhões de empregos serão perdidos para a automação até 2020 e que o número continuará a crescer.

Então a questão é: quais serão as profissões do futuro? Há algumas categorias de trabalho que, segundo a Bureau of Labor Statistics (BLS), têm grandes chances de terem suas demandas aumentadas. Confira a seguir.

1. Tecnologia e pensamento computacional

É claro que a tecnologia está no topo da lista. Contudo, segundo Devin Fidler, diretor de pesquisa do Institute for the Future, um centro de pesquisa sem fins lucrativos focado na previsão de longo prazo, o “pensamento computacional” será o mais demandado. “À medida que a quantidade total de informações geradas aumenta e aumenta, a capacidade de gerenciar isso de uma maneira que não sobrecarregue a todos, é a grande chave”, diz ele.

Empregos relacionados: desenvolvedor de software, analista de sistemas, analista de marketing e trabalhos especializados em pesquisa de mercado.

2. Cuidadores

As pessoas estão vivendo por mais tempo e a tendência é que continue assim – o que demandará mais serviços ligados ao cuidado com a saúde. Enquanto a tecnologia abre muitas portas dentro da medicina, também será necessário mais pessoas habilitadas para cuidar de uma população idosa que será crescente.

Empregos relacionados: terapeutas, médicos, especialistas em ergonomia e cuidadores para assistência doméstica.

3. Inteligência social e conhecimento de mídia

Habilidade sociais, como a inteligência social e emocional e a competência intercultural, são características que os robôs deverão levar um longo tempo para ter. Além disso, “novos meios de leitura (compreensão da informação em várias plataformas de mídia, melhorando a comunicação eficazmente nelas) são habilidades valiosas que os robôs não serão capazes de corresponder em breve”, explica Fidler.

Empregos em alta: especialistas em marketing, além de representantes de vendas.

4. Aprendizagem de longo prazo

“Vamos precisar mudar como nós aprendemos”, afirma Julie Friedman Steele, presidente do conselho da World Future Society, uma organização para futuristas. “Como as coisas estão avançando rapidamente, será difícil para professores e formadores manter-se com o pensamento mais recente. Em vez disso, vamos usar a tecnologia para encontrar as melhores fontes de informação, afim de manter o conhecimento e as habilidades atualizadas”, explica.

Empregos em alta: professores e tutores

Businessman is presenting business development strategy. Drawn flowchart on the wall.

5. Adaptabilidade e aptidão para negócios

Com as oportunidades de inovação e empreendedorismo, será essencial compreender como as empresas funcionam de forma profunda. “É o contexto de surgimento da geração do milênio. Eles estão em sintonia para colaborar. Eles sabem como fazer o trabalho baseando-se em um projeto e movendo-se rapidamente, o que eu acho que é inerente na economia de hoje”, diz Antonia Cusumano, consultora na gigante PwC.

Empregos em alta: analistas, contadores e auditores

 

logo-aiec-facebookAIEC, o único sistema de ensino a distância com qualidade superior ao presencial.
Conheça nossos cursos, clicando aqui.

 
E então, está preparado para as profissões do futuro? Conte para nós! Deixe seu comentário aqui no Blog da AIEC ou entre em contato conosco no Facebook ou pelo e-mail atendimento@aiec.br

Fonte: FastCompany [com adaptações].