Internet

Tecnologia e educação: uma parceria que tem muito futuro

icone calendario10.12.2014 - 12:08

Nos últimos anos elas têm demonstrado que devem ser parceiras inseparáveis: tecnologia e educação. Diversas ações realizadas no mundo inteiro provam que o desempenho de alunos melhora quando a tecnologia é incorporada à sala de aula. Contudo, existem debates quanto ao modo que ela deve ser utilizada. Esse foi o tema do Seminário da Fundação Santillana e da Unesco em São Paulo.

Em matéria do site G1, a repórter Paula Adamo Idoeta da BBC Brasil em São Paulo fala dos assuntos discutidos durante o seminário e que podem nos informar as tendências do uso da tecnologia na educação. Veja, resumidamente, 5 das 10 tendências apontadas na matéria.

Professor Universitário

1. Agregar valor ao trabalho do professor em vez de substituí-lo

A tecnologia deve ajudar o professor e não substituí-lo. O ideal é que os novos recursos sejam pensados a partir da necessidade dos professores. Para criar novos programas, aplicativos, sites, etc., é necessário conversar com quem está na sala de aula e tem a percepção correta sobre a carência dos alunos.

Desse modo, o professor que irá escolher o melhor recurso para ser usado em determinado momento, mesmo que sejam papel e lápis.

 

2. Melhorar processos, sem precisar mudá-los radicalmente

O uso da tecnologia não precisa mudar a aula totalmente, mas é interessante que posso complementá-la. Pode, por exemplo, contribuir com a visualização de assuntos de ciências, biologia, física ou, até mesmo, com a simples criação de um gráfico interativo.

“Um estudo com 125 estudantes das 7ª e 8ª séries na Colômbia concluiu que recursos tecnológicos nesse tipo de atividade aumentou em 81% a capacidade dos estudantes em interpretar e utilizar gráficos”, informa a matéria.

 

3. Pensar na internet além dos sites de buscas e das redes sociais

Na internet há muito mais conteúdo do que somente os que aparecem nas buscas tradicionais ou nas redes sociais. Nesse caso, é necessário que os professores incentivem e orientem os alunos a ter mais cautela ao utilizar o conteúdo, ensinando a comparar os dados, buscar a relevância das fontes, etc.

 Internet

Além disso, existem, por exemplo, projetos que contribuem para que haja interação entre as escolas e cientistas. É o caso do GLOBE (www.globe.gov). Outra plataforma incentiva a criação de projetos on-line em conjunto, o Padlet (http://padlet.com/features).

 

4. Fazer conexões com o mundo real

A tecnologia pode facilitar a conexão da sala de aula com o mundo que está do lado de fora. Há vários exemplos no mundo de como isso pode acontecer. Um deles é o que ocorreu no Equador, “55 alunos equipados com computadores simularam a abertura de um restaurante durante as aulas. Usaram softwares como Excel para controlar seus gastos e plataformas para desenvolver um website do projeto, desenhar panfletos e etc.”, conta a reportagem.

 

5. Estimular criação, cooperação e interação

Fazendo o próprio material de estudo, os alunos interagem melhor com o conteúdo, utilizam a criatividade e, ainda, contribuem uns com os outros.

É o caso de um projeto colocado em prática no Chile, onde o objetivo era entender e valorizar os povos nativos. Para isso, eles pesquisaram em equipe, criaram uma história, gravaram e editaram o vídeo feito por eles mesmos.

O resultado foi um aprendizado muito maior que apenas com os livros didáticos.

 

Metodologias avançadas e o uso da internet

A educação a distância tem permitido que a tecnologia contribua consideravelmente com o aprendizado dos alunos, que hoje vivem em um novo e acelerado ritmo de vida.

 Campus em Harvard

Os cursos on-line da AIEC, dinâmicos e interativos, usam uma metodologia exclusiva baseada nas melhores práticas de ensino a distância dos Estados Unidos, Europa e Ásia. A metodologia da AIEC para o curso de Bacharelado em Administração por exemplo, integra três conceitos:

Estudos de caso: criado em Harvard, esse método conecta a teoria à prática, por meio de casos de empresas e situações do mundo real;

Dinâmica de sistema: essa abordagem pioneira do MIT enfatiza os inter-relacionamentos entre os vários processos de uma organização;

Planos de negócios: os alunos redigem um plano integrado de negócios abrangendo todos os aspectos da empresa, incluindo marketing, finanças e operações.

Conheça mais sobre a Faculdade AIEC clicando aqui.

 

O que achou do assunto? Deixe seu comentário aqui no Blog da AIEC ou entre em contato conosco no Facebook  ou pelo e-mail atendimento@aiec.br

Fonte: G1