18 tipos de empreendedor e suas características

Quer abrir o próprio negócio, mas ainda não sabe qual o seu tipo de empreendedor?

Ou sequer imaginava que existisse mais de um?

Se for esse o caso, talvez se surpreenda ao acompanhar este artigo até o final e descobrir tantos perfis diferentes entre pessoas que dividem um sonho comum: ter uma empresa para chamar de sua.

Saber em qual tipo de empreendedor você se encaixa é importante para ajudar a ditar os rumos do seu negócio.

E aqui não estamos nos referindo apenas a modelos genéricos, como empreendedor inovador ou tradicional.

Mas também falamos de características mais específicas, como pesquisador, corporativo ou franqueado.

Vale ressaltar ainda que nada impede que você se enquadre em perfis diferentes, cada um deles sendo marcado por habilidades que fazem a diferença no seu segmento de mercado.

É possível, por exemplo, ser uma pessoa de negócios voltada às causas sociais e, ao mesmo tempo, usar as mídias digitais para impactar o seu público.

A verdade é que, só no Brasil, são em torno de 52 milhões de empreendedores, segundo o Global Entrepreneurship Monitor (GEM).

Dentro desse universo, evidentemente, existem profissionais com estilos, propósitos e aspirações diferentes.

Mas, sem dúvidas, compreendê-los é um dos caminhos do sucesso.

Então, não deixe de descobrir onde você se encaixa entre os vários tipos de empreendedor.

Siga a leitura!

tipos de empreendedor

Tipos de empreendedor: conheça 18 deles

Sem perder tempo, vamos à nossa lista com 18 diferentes tipos de empreendedor.

Sobre cada um deles, vamos trazer detalhes, características marcantes, habilidades importantes e ações que costumam fazer parte do perfil e repercutem nos resultados do negócio.

Acompanhe!

1. Empreendedor informal

A informalidade é uma realidade no Brasil.

Segundo recente levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 11,8 milhões de pessoas trabalham sem carteira assinada no país.

Ainda de acordo com o estudo, grande parte desse contingente está na classe empreendedora. Ou seja, naqueles profissionais que trabalham por conta própria.

Essa categoria de empreendedorismo se caracteriza pela necessidade urgente de encontrar renda para sobreviver.

São pessoas que abrem um negócio não em razão de uma boa ideia, mas por não ter outra fonte de rendimentos.

Por isso, acabam se submetendo a condições não ideais para prover o seu sustento e o de seus dependentes.

Também costumam pensar no curto prazo e se apoiam em iniciativas de risco relativamente mais baixo.

2. Empreendedor individual

Uma das saídas para superar a informalidade é o modelo de Microempreendedor Individual (MEI), cuja limitação de faturamento é de R$ 81 mil anuais.

Mas também é possível ser empreendedor individual como micro ou pequeno empresário, o que eleva o teto de receitas para R$ 4,8 milhões.

Seja qual for o porte do empreendimento, ao abrir uma empresa individual, o profissional consegue organizar o seu negócio e ter alguma perspectiva de crescimento.

Geralmente, esse tipo de empreendedor monta uma empresa pequena, com, no máximo, mais um ou dois funcionários, além dele próprio.

3. Empreendedor social

Toda empreendedor busca, obviamente, construir um empreendimento rentável, que oportunize o lucro ao desempenhar uma atividade pela qual tenha prazer.

No entanto, esse não é o único motivo que move um empreendedor social. Esse tipo de profissional também busca “mudar o mundo” da sua maneira.

Não importa se a sua contribuição será gigantesca ou apenas transformar uma pequena realidade, a grande questão é impactar de forma positiva a vida das pessoas.

Alguns indivíduos podem confundir isso com caridade, mas é perfeitamente possível montar um empreendimento com responsabilidade social, ajudar os outros, defender uma bandeira e, ainda assim, ganhar dinheiro.

4. Empreendedor digital

Esse tipo de empreendedor tem se tornado cada vez mais frequente, não só por aqui, mas no mundo todo.

Com o avanço da tecnologia e da internet, além da possibilidade de economizar com gastos fixos e físicos, como aluguel e estoque, por exemplo, o modelo tem se mostrado uma alternativa vantajosa para quem deseja abrir o seu próprio negócio.

Além disso, o empreendedor digital, por mais paradoxal que possa parecer, consegue estabelecer um contato muito mais próximo com os seus clientes.

Isso acontece por meio de estratégias de engajamento personalizadas e políticas de fidelização bem planejadas.

Esse perfil também se caracteriza por qualidades como inovação, criatividade, iniciativa, disciplina e foco.

5. Empreendedor público

É um tipo que está diretamente relacionado com o setor governamental e com o interesse público.

Profissionais com esse perfil possuem certa semelhança no jeito de pensar dos empreendedores sociais.

A diferença é que, neste caso, eles estão preocupados também em mudar a sua própria realidade e não apenas a do outro.

Há um desejo de mostrar para a população em geral que o seu trabalho tem valor e merece um reconhecimento maior.

6. Empreendedor corporativo

As pessoas acham que só é possível desenvolver o empreendedorismo ao abrir o seu próprio negócio, mas não é bem assim.

Um colaborador pode ser empreendedor dentro da empresa em que atua, tomando frente e se colocando à disposição para tocar novos projetos dentro da organização.

Alguns profissionais mais ousados e com senso de oportunidade, inclusive, sugerem para seus líderes soluções que podem ser implementadas para resolver problemas que fazem parte da rotina produtiva.

Esse tipo de perfil, aliás, é muito requisitado no mercado de trabalho atual.

Pessoas com iniciativa e que buscam crescer dentro de suas carreiras são vistas com muito bons olhos por recrutadores em processos seletivos.

7. Empreendedor interno

O empreendedor interno tem características bem similares com o corporativo.

A ideia é desenvolver uma série de medidas para que colaborador se sinta dono da empresa em que trabalha e assim aumente o seu engajamento e a sua produtividade.

Outro ponto que é muito trabalhado nesse perfil é a tomada de decisões.

Quando se oferece mais autonomia aos profissionais, eles se sentem mais encorajados a assumir mais demandas e, consequentemente, arcar com a responsabilidade de seus atos.

Você também pode ler ou ouvir falar a respeito do empreendedor interno como intraempreendedorismo.

8. Empreendedor cooperado

Quando falamos em cooperado, qual é a primeira coisa que vem à sua cabeça? Talvez que a união faz a força?

Esse tipo de empreendedor, realmente, acredita que, na base da coletividade e da ajuda mútua, é possível ir mais longe e conquistar os objetivos.

Normalmente, esses homens e mulheres de negócio não possuem potencial de investimento inicial muito alto, mas, com pequenas contribuições individuais, mostram que é possível começar um empreendimento.

Exemplos nessa área não faltam, como as cooperativas de crédito, iniciativas rurais e outras na área cultural.

9. Empreendedor tradicional

É aquele perfil mais conservador, que pensa em investir no empreendedorismo, mas tem receio dos riscos que a atividade pode oferecer.

Até por isso, ele costuma escolher modelos de negócio que atendem às necessidades básicas da população, como supermercado e restaurantes, por exemplo.

A chave aqui é ter os pés no chão e esquecer o lado aventureiro.

Ao se valer de técnicas comprovadamente eficazes e com muito planejamento, é possível pensar em uma expansão, desde que com muita cautela, é claro.

O conservadorismo em excesso, no entanto, tem o seu lado negativo.

Afinal, uma dose de ousadia e um olhar atento às oportunidades que aparecem não fazem mal a ninguém.

10. Empreendedor franqueado

É um modelo bastante conhecido que, como o próprio nome já diz, prefere investir em franquias para lançar o seu próprio negócio.

O fato de trabalhar como uma receita já pronta, uma ideia de outra pessoa, não desmerece o trabalho desse tipo de empreendedor que, dentro das possibilidades, pode implementar suas próprias diretrizes.

De certa forma, é um perfil cauteloso, assim como o exemplo anterior, mas reconhece que é necessário se especializar para ter sucesso na carreira.

tipos de empreendedor

11. Empreendedor pesquisador

É o empreendedor inventor, aquele que realiza pesquisas, experimentos e estudos para desenvolver o protótipo perfeito.

Muitos deles já criam projetos dentro da própria universidade em seus cursos de graduação.

Algumas instituições, inclusive, contam com incubadoras que prestam incentivo para essas mentes brilhantes.

Mas se você já passou da fase universitária, não tem problema.

Sempre há tempo para ir atrás de conhecimento e pensar em soluções personalizadas para problemas do cotidiano.

12. Empreendedor inovador

Também possui suas semelhanças com o perfil pesquisador, uma vez que tem relação com o “pensar fora da caixa”.

Para alguns, a inovação e a criatividade são características imprescindíveis para qualquer empreendedor, mas aqueles que trabalham essas habilidades desde cedo, sem dúvidas, saem na frente.

13. Empreendedor inesperado

Nem sempre um empreendedor tem certeza de que deseja seguir esse caminho. Muitas vezes, acontece por acaso.

A pessoa, em um momento de reflexão, tem uma grande sacada e, de uma hora para outra, decide investir nessa ideia e montar um negócio.

Esses insights, inclusive, costumam funcionar bem.

É como um grande artista que, quando menos se espera, cria o refrão de uma música de sucesso ou recebe uma inspiração quase que divina para escrever um poema.

14. Empreendedor do conhecimento

Ser um especialista em determinada área, por si só, já oferece um diferencial competitivo em relação aos seus concorrentes.

E essa é a principal característica do empreendedor do conhecimento.

Vamos combinar que não há nada melhor do que trabalhar com algo que se goste e sobre  o qual tenha total domínio.

Portanto, esse perfil tem grandes chances de se sentir realizado com a sua profissão.

15. Empreendedor serial

Existe um tipo de empreendedor que gosta tanto de empreender que não se contenta em apenas abrir um negócio, mas dois, três, quatro e quantos mais forem possíveis.

Não se trata de uma compulsão – até porque essa é uma palavra de conotação negativa -, mas sim de uma força de vontade incrível de fazer com que as coisas dêem certo.

Em muitos casos, o profissional faz do empreendedorismo um investimento. Ou seja, estrutura um negócio para depois vendê-lo.

16. Empreendedor herdeiro

Se você tem um negócio de família, se tornar um empreendedor herdeiro pode ser um caminho de carreira a se percorrer.

Mas não se engane: não é porque o empreendimento pertence aos seus pais que você não precisa se capacitar para geri-lo.

Mais importante que o DNA é ter as competências necessárias para administrar uma empresa e fazê-la crescer.

17. Empreendedor nato

Por falar em DNA, existem algumas pessoas que nasceram para ser empreendedoras. É algo que está no sangue.

Empreendedores natos são criativos, líderes, proativos, focados e organizados por natureza.

Provavelmente, em qualquer projeto para o qual eles se dedicarem, vão ter sucesso. Afinal, esse é o dom deles.

No entanto, todo talento precisa ser trabalhado e aperfeiçoado.

Sempre é possível evoluir.

18. Empreendedor imitador

É aquele tipo de empreendedor que procura pegar carona no sucesso alheio.

Sem criatividade, copia estratégias e formatos que deram certo em outros negócios e tenta repetir o modelo.

Pela falta de planejamento e a ausência de diferenciais, no entanto, esse perfil tende a ter pouca longevidade no mundo dos negócios.

Que tipo de empreendedor você é?

Diante de todos esses tipos apresentados, qual perfil você acha que tem mais a ver com o seu?

Sempre lembrando que é possível acumular mais de uma dessas características e agregar outras que considere importantes.

Quem sabe você não é um empreendedor inovador em busca da criação da sua startup?

Ou pode combinar as suas habilidades criativas para desenvolver novos projetos dentro do seu negócio familiar?

Existe ainda a possibilidade de abrir a sua própria empresa individual em uma plataforma digital.

Na verdade, combinações não faltam.

Basta encontrar o seu perfil (ele pode, inclusive, não estar nessa lista) e ser feliz com o seu empreendimento.

Tipos de empreendedores mais comuns no Brasil

O empreendedor individual também pode ser uma ótima opção para você.

Em termos de tendência, a modalidade é a que mais tem representatividade no país.

Segundo levantamento recente divulgado pela Serasa Experian sobre abertura de empresas, no último ano, 18 mil MEIs abriram seus negócios, totalizando 225.655 empreendimentos com essa natureza jurídica.

Outro ramo com bastante destaque no Brasil é o da inovação.

Levando em conta que essa é uma característica fundamental para se abrir um startup, é só olhar o número desses empreendimentos para constatar o sucesso.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Startups (Abstartups) existem cerca de 12 mil empresas jovens com modelo de negócio escalável e repetitivo no País.

Por fim, o empreendedorismo digital é mais um que está em alta por aqui.

Para se ter uma ideia, foram movimentados, somente no primeiro semestre de 2019, cerca de R$ 26,4 bilhões no setor.

Além disso, o número de e-commerces teve um crescimento de 12% no período.

As informações são da 40ª edição do Webshoppers, divulgado pela consultoria Ebit/Nilsen.

Como se tornar um empreendedor de sucesso?

A chave para o sucesso no empreendedorismo, assim como em qualquer outra área, é uma só: capacitação profissional.

É claro que essa carreira tem as suas particularidades e algumas competências necessitam de uma atenção especial.

É o caso, por exemplo, da liderança.

É praticamente impossível ter sucesso nesse segmento se você não é um bom líder.

Por isso, se você deseja ser um empreendedor bem-sucedido, precisa investir no Curso de Formação de Líderes da Associação Internacional de Educação Continuada (AIEC).

Para mais informações, acesse o site e conheça também outras opções de cursos disponíveis.

tipos de empreendedor

Conclusão

Ao ler o artigo, você pôde conhecer diferentes tipos de empreendedor e suas características.

Agora, com base nos perfis que mais combinam com você, é hora de tirar a sua ideia do papel e colocá-la em prática, não acha?

E, para apoiá-lo nessa empreitada, você pode contar com a AIEC.

São várias opções de cursos para você se especializar e desenvolver competências necessárias para gerir seu negócio.

Navegue pelo site e conheça todas as formações disponíveis.

Caso tenha achado esse conteúdo relevante, compartilhe com seus amigos nas suas redes sociais e não se esqueça de deixar seu comentário sobre o que acabou de ler no espaço logo abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *