Estilos de liderança: 7 formas de conduzir equipes de sucesso

Existem inúmeros estilos de liderança, cada um com características muito próprias. 

Apesar das diferenças entre si, todos eles refletem o desejo de um comando que busca garantir as melhores soluções e resultados.

Seja ele formalizado em um cargo ou fruto de um reconhecimento coletivo. 

Ser líder é um desafio e tanto, mas também um papel que costuma vir acompanhado de inúmeras recompensas diárias.

E essas retribuições se manifestam até mesmo nos pequenos avanços alcançados junto à equipe.

Há quem já possua esse espírito de liderança como algo natural de sua personalidade.

Para outros, é um aspecto que precisa ser trabalhado e desenvolvido.

Em ambos os casos, no entanto, essa é uma característica fundamental nos dias de hoje, tanto no mercado de trabalho quanto na sociedade, como um todo. 

Se você concorda com essa ideia, separe alguns minutos para nos acompanhar ao longo deste artigo.

Pronto para começarmos?

lideranca_estilo

O que são estilos de liderança?

Podemos definir a liderança como uma forma de orientar, incentivar e comandar equipes com o objetivo de atingir um objetivo. 

No entanto, muitas vezes, se trata de algo natural, como alguém que simplesmente se destaca por suas características e acaba sendo reconhecido como uma referência na tomada de decisões.

Na prática, cada líder é singular em sua forma de lidar com as pessoas que estão ao seu redor e com as situações que se colocam no caminho. 

Ainda assim, é possível definir traços em comum entre os diferentes tipos de liderança.

Mas você sabe quais são eles? Confira o tópico a seguir. 

7 estilos de liderança nas organizações

Os estudos que compreendem a teoria dos estilos de liderança listam três perfis principais: autocrática, democrática e liberal. 

Ainda assim, no dia a dia, é possível perceber outras categorias mais específicas, relacionadas ao tipo e modo de atuação.

Vamos conhecer agora quais são.

1. Autocrático 

Ainda é bastante comum encontrar lideranças com perfil autocrático. No entanto, esse é um modelo cada vez menos adotado e mais desprestigiado no mercado de trabalho.

Isso porque, apesar da eventual eficiência que costuma ser resultado da presença de um líder com esse perfil, a maneira como as relações interpessoais são construídas tendem a sofrer rápidos desgastes.

Aqui, o foco da liderança é a execução das tarefas, em um modelo centralizado de decisões.

Nesse sentido, existe pouco espaço para a discussão colaborativa sobre os projetos e o papel de cada membro da equipe.

Aos poucos, esse modo de liderar vem sendo substituído pelos que veremos a seguir, que englobam características em que o diálogo e as trocas são aceitos e incentivados. 

2. Liberal 

O líder liberal, por outro lado, é aquele em que a equipe tem toda a liberdade para tomar as suas decisões. 

Sua atuação só aparece quando solicitada ou em momentos pontuais de necessidade.

Em geral, as tarefas e projetos andam mesmo quando ele não está presente, já que todo o trabalho está centrado na equipe e nas suas aptidões.

Por acreditar que as pessoas ao seu redor possuem a capacidade necessária para chegar aos objetivos pretendidos, não é o tipo de liderança que se preocupa em controlar o curso dos acontecimentos.

O único problema é quando o liberalismo se acentua a tal ponto que dá à equipe a impressão de que aquela figura central não existe. 

3. Democrático

Um meio termo entre os dois tipos anteriores de liderança, o modelo democrático dá destaque para o coletivo.

Todos possuem os mesmos direitos, seja na hora de dar a sua opinião ou tomar decisões.

Por conta da boa relação que costuma ter com os membros da equipe, realmente, é visto como parte dela – e não como alguém que está em um nível superior de comando.

A distribuição de tarefas não ocorre simplesmente de maneira arbitrária: o próprio grupo, com a participação do líder, define quem fica responsável por quais atribuições.

Há uma gestão mais horizontal, portanto.

Além disso, o modo colaborativo de ação incentiva as trocas e favorece o desenvolvimento da equipe como um todo, e não apenas dos seus membros individualmente.

Na hora de criticar ou de fazer elogios, a liderança democrática costuma ser objetiva, embasando seus apontamentos em fatos.

Trata-se de um modelo de atuação cada vez mais valorizado pelas empresas, sobretudo aquelas que possuem espírito de startup.

4. Motivador

A inteligência emocional é o forte do líder com perfil motivador. 

Ele sabe como ninguém da importância de criar um ambiente que seja percebido como espaço para crescimento profissional. 

Essa habilidade o ajuda a lidar com os conflitos que podem surgir no dia a dia entre os membros da equipe. 

Também entende a importância de manter uma comunicação transparente, em que o grupo não se sinta amedrontado diante das novidades.

Por estar sempre pronto para incentivar o desenvolvimento de todos ao seu redor, ajudando a identificar potencialidades, tende a montar equipes altamente qualificadas. 

5. Técnico

Com amplo conhecimento técnico sobre a sua área de atuação, este líder é um verdadeiro especialista e sempre tem as respostas na ponta da língua. 

Por conta disso, a equipe não só confia no seu trabalho, como segue suas decisões de maneira natural.

Em alguns momentos, no entanto, podem ter dificuldades em sair do padrão para apostar em soluções criativas, já que buscam sempre ter o controle sobre as respostas geradas por uma ação.

Muitas vezes, seu modo de agir pode ser entendido como objetivo demais, o que pode afastar os membros da equipe.

Por outro lado, é importante lembrar que os estilos de liderança podem se mesclar entre si. 

Assim, nada impede que um líder técnico também some características motivadoras ao seu perfil.

6. Visionário

A visão sistêmica é a sua característica mais marcante e ele está sempre de olho nos comportamentos e tendências – seja do mercado ou da sua própria equipe. 

Por isso, dificilmente é pego de surpresa.

A sua capacidade analítica também é desenvolvida, o que facilita o aumento da produtividade e uma gestão eficiente do tempo.

Adepto a inovações, é capaz de entender a hora certa para implementar mudanças.

7. Situacional

Maduro e com bom jogo de cintura, o líder situacional é capaz de adaptar seu modo de agir de acordo com a situação. 

Assim, não existe uma constância em seu perfil. 

Isso significa que ele sabe fazer uma leitura perfeita de cada momento e tomar a sua decisão com base nisso. 

Na prática, é aquela pessoa que cobra quando necessário, mas que também sabe da importância de elogiar e adotar um tom mais amigável.  

Se percebe que um membro da sua equipe possui mais dificuldades no desenvolvimento de uma tarefa, busca oferecer orientações mais frequentes. 

Por outro lado, caso observe uma atuação destacada, incentiva o crescimento e não interfere diretamente no trabalho. 

lideranca_estilo

Qual o estilo de liderança mais adequado?

Depois de ver todos esses tipos de liderança, pode ficar a impressão de que existe um modelo mais certo a adotar. 

Mas a verdade é que tudo vai depender das necessidades e características de cada local e da equipe envolvida. 

Se a sua liderança for do tipo transparente na comunicação, que organiza os fluxos de trabalho sempre pensando no bem-estar da equipe, e não apenas nos resultados, não é preciso ficar preso a um estilo específico.

Na dúvida, pense em características como bom senso, generosidade, dedicação e disciplina para guiar as suas ações como líder. 

Ah, sem esquecer de outro aspecto chave: ser um bom ouvinte. Isso certamente vai fazer a diferença não só no dia a dia, mas também para o seu crescimento. 

Quando essas são preocupações que você transparece em suas ações, a tendência é que as pessoas o reconheçam como uma liderança de maneira natural, sem que esse papel precise ser reafirmado constantemente. 

Estilos de liderança e os impactos junto aos colaboradores

Cada modelo de liderança impacta a equipe de uma maneira específica.

Afinal, o líder é a pessoa que não só representa, como também orienta o grupo. 

Ele serve como um norteador, que auxilia o crescimento individual enquanto incentiva o desenvolvimento coletivo. 

Quando as características do perfil adotado se acentuam de forma muito incisiva, no entanto, a tendência é que elas acabem se sobrepondo às necessidades do coletivo. 

Com isso, as desavenças começam a surgir e os resultados pretendidos não são alcançados. 

Por isso, é preciso estar disposto a se adaptar constantemente, entendendo a realidade de momento e o que ela exige. 

Essa sensibilidade também é parte do papel de quem está à frente de uma equipe.

Estilos de liderança e motivação no ambiente de trabalho

A forma como a liderança é exercida pode influenciar e muito na produtividade do trabalhador e no clima do ambiente de trabalho. 

Muitas pessoas estão tão focadas nos resultados que se esquecem que eles só vão ser alcançados se aqueles que estão por trás de sua construção estiverem bem. 

Por isso, não hesite em promover medidas que valorizem o bem-estar e a qualidade de seus liderados. 

Até mesmo porque indivíduos adoecidos são incapazes de produzir com alta qualidade e eficiência. 

Cobrar é parte do papel do líder, mas motivar é tão importante quanto. 

Como saber meu estilo de liderança?

Ao ler os perfis de liderança que descrevemos acima, você certamente tentou perceber em qual deles se encaixaria melhor, não é mesmo? 

A resposta pode ser facilmente encontrada a partir de uma autoanálise sincera e centrada. 

Primeiramente, pense em algumas características que você acredita que o descrevem. 

Com relação aos três estilos principais, elas o colocam em uma perspectiva autocrática, liberal ou democrática? 

Se ficar na dúvida, volte para ler novamente cada um dos perfis. 

Em seguida, repita o mesmo processo. Dessa vez, no entanto, listando características que as outras pessoas costumam atribuir a você.

Feito isso, vale se perguntar se a maneira como você se enxerga é a mesma como os outros o veem. Esse comparativo já vai oferecer algumas respostas. 

Ainda com dificuldades para identificar esse perfil? Então, reflita sobre as possíveis respostas para as perguntas a seguir: 

  • Você costuma oferecer feedbacks?
  • Como as decisões são tomadas no seu setor: a palavra final é sempre sua, você leva as questões para debate por parte da equipe ou prefere não se envolver?
  • De que maneira as tarefas são distribuídas?
  • Com que frequência você e a equipe se reúnem para discutir as estratégias? 

O que elas revelam são um modo de ação, um jeito que é muito próprio do seu estilo de liderança. 

A questão final a responder é se esse modelo permite que não só você, mas também as pessoas ao seu redor, alcancem o máximo de si, de uma maneira positiva e sustentável. 

Como se tornar um líder melhor?

É, não dá para negar todo o impacto que um líder pode ter em seu ambiente de atuação. Por isso, estar em constante aperfeiçoamento é essencial. 

Ainda que muitos encarem o senso de liderança como uma característica que nasce com a pessoa, ele também pode ser trabalhado e desenvolvido. 

Isso significa aprimorar competências e até mesmo descobrir outras que você nem sequer sabia que possuía. 

Se você anda pensando em seguir por esse caminho, aproveite para conhecer o curso de extensão de Formação de Líderes, da AIEC. 

Oferecida na modalidade de ensino a distância, a formação busca despertar nos alunos aspectos como inteligência emocional, criatividade e raciocínio lógico. 

Além disso, promove a compreensão sobre a influência que as experiências pessoais possuem no processo de tomada de decisão. 

Com duração de até seis meses e dividido em 18 aulas, o curso vai permitir que você abra espaço para o seu crescimento como líder.  

lideranca_estilo

Conclusão

E aí, o que achou sobre os estilos de liderança? 

Independentemente de qual for o seu, o importante é ter sempre em mente que liderar não significa agir com autoritarismo, sempre em modo imperativo. 

A rejeição do mercado a líderes que atuam a partir de um modelo autocrático mostra que os tempos são outros. 

Antes de finalizarmos, uma última dica: não cometa o erro de achar que, pela experiência adquirida ao longo dos anos, você não precisa mais se preocupar em se desenvolver como liderança. 

Esse é um processo constante, um aprendizado diário. 

E, sempre que precisar, conte com o suporte da AIEC para ir ainda mais longe. 

Além do curso de extensão para formação de líderes, existem outras opções na área de gestão

Basta escolher aquela que melhor se encaixa no seu perfil. 

Quer saber mais? Aproveite para acessar o site e conferir os detalhes.

Gostou do artigo sobre estilos de liderança? Então, compartilhe-o em suas redes sociais e não se esqueça de deixar o seu comentário logo abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *