Gestão da produção: conceito, etapas do sistema e ferramentas

Organização, planejamento e controle são três elementos que compõem a gestão da produção dentro de uma empresa.

A área, que ganhou popularidade no final do século XIX, permanece sendo largamente aplicada até os dias de hoje como uma forma de gerenciar os recursos e controlar o andamento dos trabalhos.

Sua origem está ligada às consequências da Segunda Guerra Mundial que devastou diversos países da Europa e Ásia.

Com pouquíssima infraestrutura, as nações atingidas pelo conflito precisavam de métodos ágeis e baratos para impulsionar suas economias e superar a crise do pós-guerra o mais rápido possível.

Assim, o objetivo principal da gestão da produção era é o de conquistar os maiores índices de produtividade possíveis com um baixo custo, barateando e otimizando a atividade.

Ainda que, em sua origem, estivesse muito ligada aos polos industriais, a gestão logo se expandiu e hoje aparece também em comércios e na prestação de serviços.

Portanto, quem quer se especializar no controle e gerenciamento da produção tem uma série de técnicas, sistemas e ferramentas que podem ser bastante úteis para garantir que os resultados estejam de acordo com o que se espera.

Continue lendo para saber mais detalhes sobre a gestão da produção, como ela interage com outras áreas e conhecer ferramentas úteis para a sua prática.

gestao_producao

O que é gestão da produção?

Estão inclusas na gestão da produção todas as ações e métodos utilizados para mapear a atividade, acompanhar o andamento dos trabalhos e controlar os custos e a qualidade.

Tudo começa e depende do planejamento.

Antes de colocar a mão na massa, é preciso ter muito bem definido quais são as atividades necessárias para concluir a produção e, também, qual é o resultado que se deseja alcançar.

São essas definições, registradas em um documento, que vão guiar a execução dos trabalhos e garantir um controle eficiente.

E quando a entrega finalmente for feita, você pode recorrer ao seu planejamento para monitorar os resultados e, eventualmente, sugerir melhorias no plano de ação.

A relação entre gestão da produção e qualidade

Paralelo à gestão da produção, a qualidade também é uma área que ganhou destaque no período pós-guerra.

Muitas vezes, esses conceitos acabam se confundindo e isso acontece porque, de fato, são duas áreas que estão intrinsecamente conectadas.

Um planejamento eficiente da produção deve sempre levar em conta as características finais do produto ou serviço entregue.

Além de evitar gastos extras com trocas e recalls, uma atenção especial à qualidade garante a satisfação do cliente que, em longo prazo, traz ganhos importantes para a marca.

Ao mesmo tempo, para garantir a qualidade das entregas, precisamos voltar para a produção, certificando-se de que todas as etapas estejam desenhadas de maneira eficiente.

Para que serve a gestão da produção

Quem aposta em uma gestão da produção ativa garante benefícios que podem ser observados durante as várias etapas que entram na manufatura.

Seu objetivo geral é diminuir ao máximo o número de erros e falhas, trabalhando também de modo preventivo.

Ainda durante o planejamento, a gestão ajuda a verificar se o que foi desenhado como ideal realmente pode funcionar dentro da estrutura da empresa.

E, se gargalos ou falhas forem verificados, você consegue fazer a correção porque se certificou de fazer a inspeção ainda na fonte.

Durante a execução dos trabalhos, a gestão atua monitorando o status de cada atividade, assim como os resultados apresentados, para poder indicar ações corretivas antes de o produto chegar até o consumidor.

Com isso, a intenção é criar um ambiente que incentive o aperfeiçoamento constante da qualidade das entregas, tendo a satisfação do cliente como foco principal.

Esse processo de melhoria contínua é o que garante o sucesso comercial do seu produto ou serviço em longo prazo.

Qual a importância da gestão da produção

O emprego da gestão da produção em um negócio se justifica pela necessidade de acompanhar o trabalho cotidiano, ao mesmo tempo em que se mantém integrado ao contexto macro.

Em outras palavras, isso significa que a área conta com ferramentas que permitem ao gestor monitorar o andamento de cada uma das atividades e também ver o resultado geral da produção.

Assim, fica mais fácil entender qual é a razão das falhas verificadas e se antecipar, evitando que os mesmos erros sejam cometidos no futuro.

Gestão da produção industrial

Por ser o primeiro segmento a adotar a gestão da produção, a indústria tem essa área consolidada já há algumas décadas.

O uso das ferramentas de controle se justifica aqui pelo fato de que, na maioria das vezes, a produção é feita em larga escala, e um pequeno erro no planejamento é suficiente para comprometer a qualidade de lotes inteiros.

Então, assim como diz o ditado popular, é melhor prevenir do que remediar.

Gestão da produção em serviços

Com o passar dos anos, a gestão da produção foi sendo adaptada para outros contextos, tendo a prestação de serviços um destaque nesse novo momento.

E isso não poderia ser diferente, já que hoje o segmento supera a manufatura como maior parcela do Produto Interno Bruto (PIB) na maioria dos países.

Essa mudança estrutural da economia mundial fez com que as técnicas da gestão da produção se tornassem cotidiano em hospitais, agências de marketing, promotoras de eventos, entre outras áreas.

Etapas de um sistema de gestão da produção

O Planejamento e Controle da Produção (PCP) é o nome técnico utilizado por especialistas para se referir às etapas de um sistema de gestão da produção.

Dentro dessa classificação, existem sete principais elementos:.

  1. Roteamento
  2. Carregamento 
  3. Despacho
  4. Acompanhamento
  5. Inspeção
  6. Avaliação 
  7. Correção.

A primeira etapa, do roteamento, se refere ao momento de planejar a rota que será traçada durante a produção.

Em seguida, o carregamento designa a fase de preparação, onde os recursos necessários para a produção serão separados e reunidos.

No despacho, tudo o que foi planejado e preparado começará a ser colocado em prática.

A próxima etapa, do acompanhamento, garante que as entregas sejam feitas dentro do prazo e de acordo com o que foi estipulado para que em seguida, na inspeção, a qualidade seja verificada.

A fase de avaliação é onde será feita uma análise final e macro levando em conta custos, tempo de produção e incidência de erros.

Se necessário for, existe ainda uma sétima fase reservada para a correção de eventuais falhas detectadas pela gestão.

gestao_producao

Quais são as ferramentas de gestão da produção

Conforme mencionamos, a gestão da produção conta com algumas ferramentas na hora de manter o controle do andamento das atividades.

Elas funcionam como “atalhos” para a produção, capazes de economizar recursos, tempo e dinheiro.

Por isso, escolher a opção correta é fundamental para garantir a qualidade do valor que será entregue ao cliente.

Abaixo, você conhece mais sobre as principais ferramentas da gestão da produção.

Planejamento Avançado da Produção (APS)

O sistema APS (Advanced Planning and Scheduling, no original em inglês) é um dos primeiros a aparecer durante a gestão da produção.

A ferramenta informatizada promove um sequenciamento das operações necessárias para atingir o objetivo final, criando, a partir disso, uma programação balanceada de todo o processo produtivo.

Com o APS, é possível avaliar o esforço projetado para cada atividade e programar seus recursos de acordo, evitando gargalos e atrasos.

Mapa Mental

Ainda durante o planejamento, o mapa mental permite organizar as ideias de uma ou mais pessoas, concretizando as sugestões em um plano de ação eficaz.

A ferramenta pode também ajudar o gestor a resolver problemas específicos, gerenciar o processo de criação de um novo produto ou desenvolver manuais internos por funções.

Na internet, você pode encontrar softwares gratuitos e pagos para criar o seu mapa mental.

Análise SWOT

O nome dessa ferramenta é, na verdade, uma sigla em inglês, que representa as iniciais de Strengths (fortalezas ou pontos fortes), Weaknesses (fraquezas), Opportunities (oportunidades) e Threats (ameaças).

Em português, a Análise SWOT é também conhecida como FOFA.

Por meio desse modelo de raciocínio, é possível fazer uma avaliação aprofundada da produção existente ou até mesmo criar um fluxo do zero que seja a prova de erros.

Subjetiva, a análise ganha com o convite de colaboradores de diversas áreas para que a discussão conte com perspectivas variadas do mesmo problema.

Ciclo PDCA

A próxima ferramenta apresentada também é uma sigla, mas, além de uma análise do cenário atual, ela orienta para os momentos de execução do trabalho.

O acrônimo PDCA representa Plan, Do, Check e Act – em português, planejar, fazer, checar e agir.

Assim, observamos que, em seu uso, existe uma preocupação maior em garantir o controle, levando em consideração uma melhoria contínua: você planeja, faz, checa e age repetidas vezes.

Planejamento de Vendas e Operações (S&OP)

O Planejamento de Vendas e Operações (Sales & Operation Planning) é o momento em que você começa a integrar todas as partes da produção, considerando a capacidade produtiva da empresa e seu orçamento para operações.

A ferramenta ajuda a criar uma rotina operacional em longo prazo (12 a 24 meses), documentando os dados para verificação futura.

Em sua prática, o S&OP integra os departamentos de finanças, engenharia, recursos humanos, marketing e vendas para desenhar um panorama fiel da produção.

Plano Mestre de Produção (MPS)

No Plano Mestre de Produção (Master Production Schedule), o gestor vai poder começar a avaliar os primeiros resultados obtidos, comparando-os com as metas e projeções especificadas no S&OP.

A partir desses resultados preliminares, melhorias podem ser sugeridas no MPS de maneira a adequar o processo produtivo à capacidade da empresa e às demandas da clientela.

Planejamento dos Recursos de Manufatura (MRP II)

O Planejamento dos Recursos de Manufatura (Manufacturing Resources Planning) foca especificamente no gerenciamento dos estoques, assegurando que haverá insumos para garantir o ritmo de produção.

Indispensável, o uso da ferramenta deve ser compartilhado pelos departamentos de vendas, engenharia e controle da produção para evitar gargalos ou desentendimentos.

Softwares de gestão ERP

Por último, mas não menos importante, nós temos os softwares de gestão de ERP.

Mais uma vez, o nome vem de uma sigla que representa o termo em inglês: Enterprise Resource Planning – ou apenas Sistema de Gestão Empresarial, na tradução mais comum.

O grande objetivo dessa ferramenta é organizar e concentrar todos os dados da produção em um só lugar, facilitando o trabalho de controle do gestor.

A visualização rápida e confiável de todos os dados em um painel de controle permite que o gestor tome suas decisões de maneira mais assertiva e ágil.

Até pouco tempo caríssimos, os softwares de ERP se popularizaram também nos últimos anos e, hoje, já aparecem no mercado em versões bastante acessíveis, mesmo a pequenos negócios.

Além da produção, qualifique-se como gestor

Ainda que a internet seja uma boa fonte para se inteirar das novidades, sabemos que um bom gestor vai muito além das ferramentas e técnicas que ele conhece.

Contar com uma formação na área é essencial para quem deseja se destacar no mercado de trabalho, chamar atenção de contratantes e apresentar resultados de excelência.

Com a Faculdade AIEC, você também pode se capacitar de maneira prática e facilitada.

Esteja você procurando um Bacharelado em Administração ou um curso de extensão para se especializar em liderança, a AIEC tem a opção que você procura.

A faculdade funciona na modalidade de ensino à distância, o que significa que você pode escolher o melhor horário e lugar para realizar seus estudos.

A AIEC também é a única instituição EAD do Brasil com certificação internacional de qualidade, o ISO 9001, e com reconhecimento do MEC.

Visite o site e conheça nossos cursos.

Conclusão

O que começou como uma maneira de garantir alta produtividade a baixos custos no pós-guerra expandiu-se pelo mundo e se tornou uma ferramenta de controle valiosa para diversos segmentos.

A gestão da produção é uma área que reúne todas as técnicas e ferramentas utilizadas para planejar e monitorar as atividades do cotidiano da empresa de modo a garantir bons resultados.

Muito além de um método de inspeção, ela permite uma visão macro dos negócios para que o gestor possa agir preventivamente e garantir uma melhoria contínua nas entregas.

Lado a lado com a área da qualidade, a gestão da produção minimiza as falhas e garante que o que chega às mãos do cliente está de acordo com o que foi planejado – e que o que foi planejado está de acordo com as demandas da clientela.

Assim, garante um controle contínuo que gera resultados progressivamente melhores.

O artigo foi útil para você? Então, compartilhe com sua rede de contatos.

Também deixe um comentário, dúvida ou sugestão a seguir.

2 thoughts on “Gestão da produção: conceito, etapas do sistema e ferramentas”

  1. Boas, oque percebe desta informação sobre gestão da produção, a mesma surgiu muitos anos atrás, a mesma nos da uma visão ampla de várias formas e tipos de gestão a aplicar em nosso dia a dia, é uma ferramenta muito importante para uma empresa é não só.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *