Gestão de negócios: o que é, curso e ferramentas para empresas

Ser um especialista em gestão de negócios está entre seus objetivos para a carreira?

Então, é preciso correr atrás da formação, competências e habilidades exigidas para tanto.

Qualquer indivíduo que exerce um cargo estratégico em uma organização ou conta com uma veia empreendedora, deve se capacitar para se tornar um administrador mais completo, preparado para todos os desafios que podem surgir.

E é justamente aí que entra a importância da gestão de negócios.

Ser um bom líder, comandar um ou mais departamentos inteiros, motivar uma equipe, atingir as metas pré-estabelecidas, mensurar resultados, dar feedbacks e tomar decisões são características importantes que devem fazer parte da rotina produtiva de qualquer gestor.

No entanto, ele precisa estar preparado para tal, desenvolvendo as habilidades certas para que o seu desempenho seja condizente com o que se espera dele.

A boa notícia é que você pode contar com uma série de suportes para atingir esse patamar.

As ferramentas de gestão, por exemplo, estão aí para ajudá-lo.

E, então, pronto para conhecer um pouco mais sobre o assunto e se tornar um profissional bem-sucedido nessa carreira?

Acompanhe o artigo. Boa leitura!

gestao de negocios

O que é gestão de negócios?

A gestão de negócios é uma atividade que faz parte da Administração, sendo voltada para a elaboração de estratégias que visam alcançar as metas e objetivos organizacionais.

Ao contrário do que se pode supor, no entanto, uma só empresa pode contar com diversos gestores, responsáveis por comandar setores específicos dentro do contexto corporativo.

Ou seja, o dono pode ser um gestor, mas não o único.

Dependendo do porte da empresa, vários outros profissionais podem ocupar posições de gestor, tendo responsabilidade pelos resultados alcançados.

A gestão de negócios não se trata apenas de uma habilidade, mas de um conjunto de conhecimentos, técnicas e competências desenvolvidas a serviço da coletividade.

Esse rol de capacidades pode ser aperfeiçoado com a prática e experiência, mas, sobretudo, advém da formação superior e da especialização.

Por isso, ao longo deste artigo, reforçaremos a importância da capacitação profissional para se tornar um gestor de negócios mais completo e melhor preparado para as oportunidades do mercado.

E o que é gestão estratégica de negócios?

Por si só, a gestão de negócios já pressupõe uma organização, no sentido de planejamento.

Quando falamos de gestão estratégica, então, esses pilares são ainda mais ressaltados.

Ou seja, ao traçar um plano de ação, existe um gerenciamento de recursos para que se invista o necessário com o mínimo desperdício, considerando recursos como tempo, dinheiro e mão de obra, por exemplo.

Assim, os objetivos alcançáveis, definidos previamente, são mais facilmente atingidos. E, com isso, os resultados são maximizados.

Além disso, os diagnósticos encontrados para os problemas são muito mais confiáveis, uma vez que os gestores se valem de métricas e indicadores conhecidos, que oferecem subsídios para as tomadas de decisão.

Entre as vantagens de uma gestão estratégica de negócios bem feita para uma empresa podemos listar as seguintes:

  • Otimizar recursos
  • Automatizar processos
  • Implementar uma visão sistêmica
  • Dar subsídios para a tomada de decisões
  • Criar metas alcançáveis
  • Desenvolvimento contínuo
  • Crescimento sustentável
  • Elaborar planos de ação
  • Promover mudanças organizacionais positivas.

Áreas que a gestão de negócios abrange

Conforme destacado anteriormente, a gestão de negócios pode ser praticada em diferentes atividades e áreas dentro de uma empresa.

Quer exemplos? Então, acompanhe a nossa lista!

Liderança

A liderança é peça-chave para o sucesso de qualquer empresa, estando diretamente relacionada com os resultados obtidos.

Um gestor de negócios assume grandes responsabilidades, como, por exemplo, servir de inspiração para o seu time de colaboradores e garantir a motivação profissional.

Além disso, também deve delegar demandas com excelência e assegurar que todos cumpram suas metas organizacionais, entre outras tarefas.

Assim, ser um bom líder é quase um pré-requisito para uma boa gestão de negócios.

Recursos humanos

Um dos setores mais importantes dentro de uma empresa, o RH é responsável pelo processo seletivo de novos contratados, pela proposição de dinâmicas de grupo, pela avaliação comportamental periódica, pela elaboração e orientação de planos de carreira e pela preservação do clima organizacional.

Todos esses e outros aspectos devem estar relacionadas com as metas corporativas.

Ou seja, é mais uma área com relação total com a gestão de negócios.

Planejamento estratégico

O planejamento estratégico é o que move toda e qualquer ação dentro de uma organização, sendo outra preocupação prioritária da gestão empresarial.

Sem ele, as decisões seriam pautadas por impulsos, achismos, tendências, crenças e experiências pessoais.

E todos sabemos que não pode ser assim. Afinal, ainda que dê certo, você não saberá como chegou ao resultado.

Por isso, cada escolha deve ter uma justificativa lógica e racional.

Marketing

Estratégia muito usada para atingir os objetivos traçados.

Uma gestão de negócios eficiente tem no marketing um dos seus principais aliados para conquistar os resultados pretendidos pelo planejamento.

É através de campanhas assertivas, por exemplo, que se chega ao público certo, com a mensagem correta, no momento exato.

Logicamente, esse esforço repercute nas vendas e no faturamento, assim como no crescimento da própria empresa.

Finanças

Marketing e finanças caminham lado a lado. Afinal, um não vive sem o outro.

Se o segundo, muitas vezes, é quem determina o orçamento para que o primeiro desenvolva as campanhas, o marketing, por sua vez, é uma ótima forma de aumentar o caixa da empresa, como acabamos de ver.

Mas as finanças corporativas se relacionam com a gestão por muitas outras razões.

Ou de que forma um negócio vai sobreviver sem dinheiro, se vive no vermelho e gasta mais do que fatura?

É por isso que essa é uma área vital, mesmo em pequenas empresas.

Cadeia produtiva

A cadeia produtiva, composta, principalmente, pelos setores de produção, estoque, logística e transporte é a engrenagem vital para fazer todo o sistema funcionar.

Por isso, a gestão de negócios tem um cuidado especial com esses processos tão importantes, que aparecem especialmente em empreendimentos do setor industrial.

Potencial de risco

Não é porque um gestor planeja estrategicamente cada movimento que isso quer dizer que seu negócio não possa correr um certo risco.

É claro que pode.

Aliás, o que é empreender se não assumir riscos?

No entanto, essas ameaças precisam ser extremamente calculadas para que a margem de erro seja a menor possível.

Também nesse sentido, a formação do gestor de negócios é importante para trabalhar com as variáveis que podem fazer a empresa crescer ou falir.

Indicadores de desempenho

A gestão de negócios precisa de parâmetros para saber se a administração está indo pelo caminho certo, para que possa ser feita uma rápida correção de rumo se algo estiver fora do planejado.

Por isso, os indicadores de desempenho são tão importantes, oferecendo dados confiáveis para que os resultados possam ser mensurados.

Eles podem ser de produtividade, qualidade, eficiência, capacidade e muitos outros relacionados à performance da empresa e seus colaboradores.

Comunicação

Tanto a comunicação interna quanto a externa são vitais para a gestão de negócios.

Afinal, elas são o recado que você, enquanto gestor, pretende transmitir ao seu público-alvo e aos stakeholders (que incluem todos que têm interesse direto ou indireto na organização).

A mensagem deve ser a mais clara e direta possível, com linguagem, formato e canais adequados para que as chances de ruído e silos comunicacionais diminuam.

gestao de negocios

Importância da gestão de negócios para uma empresa

Antes, elencamos algumas das principais vantagens da gestão de negócios para uma empresa.

Porém, se fosse preciso destacar apenas dois pontos nos quais ela é mais importante, eles seriam: o empreendedorismo e o planejamento.

Vamos entender por quê?

Empreendedorismo e gestão de negócios

Muitas pessoas acreditam que, para abrir uma empresa, basta uma grande ideia. No entanto, não é bem assim.

Ainda que o diferencial competitivo seja algo importante, é preciso ter um plano de gestão bem detalhado para que o negócio sobreviva, sobretudo, aos primeiros meses e anos.

É preciso ir com calma, dar um passo de cada vez, a fim de que se conquiste, primeiro, uma certa estabilidade para, na sequência, traçar estratégias para um crescimento sustentável.

Planejamento e gestão de negócios

Ou seja, a palavra de ordem é: planejamento. Seja em um negócio próprio ou em outra organização, não se vai a lugar nenhum sem estratégia.

Na vida e no universo corporativo, nada acontece por acaso.

Por isso, tenha sempre em mente as prioridades a serem seguidas e seus respectivos prazos.

Caso tenha que dar um passo atrás para, mais adiante, andar dois ou três para frente, não fique reticente.

Mais vale uma caminhada segura e convicta do que uma repleta de dúvidas e incertezas, ainda que nem sempre o futuro seja tão previsível assim.

5 tipos ferramentas para gestão de negócios

Como podemos ver até agora, a gestão de negócios é algo complexo, que conta com múltiplas variáveis, muito difíceis de serem administradas sozinhas.

A boa notícia é que você não está sozinho nessa.

Existem ferramentas que podem ajudar a tornar a sua tarefa mais fácil e com maiores chances de acerto nas decisões.

Quer saber quais são elas? Vamos à lista!

Ferramentas mentais

São aqueles instrumentos que ajudam os gestores a visualizarem determinadas situações a partir de uma exposição mais direta.

Muitas vezes, é usado um tópico para introduzir um assunto e, com base nessa ideia preliminar, é desenvolvida uma série de pensamentos que vislumbram ações específicas.

O brainstorming é uma das principais manifestações dessa ferramenta.

Além dele, se destacam também projeções gráficas e diagramas, como o de Ishikawa, por exemplo.

Ferramentas estratégicas

São aqueles modelos que ajudam a apontar um norte para a organização ou que oferecem uma solução para dada carência.

Aqui, podemos citar vários exemplos, como a Análise SWOT, uma das ferramentas mais utilizadas pelas empresas devido ao seu alto grau reflexivo.

Para quem não conhece, SWOT é um acrônimo das palavras em inglês Strength, Weakness, Opportunities e Threats que significam, respectivamente, forças, fraquezas, oportunidades e ameaças.

Ou seja, o método propõe uma análise interna e externa da organização para, a partir dos resultados obtidos, traçar as estratégias ideais para enfrentar cada situação.

Ferramentas financeiras

Como o próprio nome já indica, as ferramentas financeiras são instrumentos que ajudam na gestão dos recursos de uma empresa.

Dentre os modelos mais conhecidos e eficazes do mercado, está o fluxo de caixa, que registra toda e qualquer movimentação nas finanças da organização.

Outro recurso interessante é o Orçamento de Base Zero (OBZ), que ajuda a elencar prioridades de investimentos a serem feitos.

Vale ressaltar que o auxílio dessas ferramentas não prescinde os serviços de um contador ou um agente financeiro. Apenas funciona com um suporte e uma segurança extra.

Ferramentas de análise da concorrência

Uma das principais maneiras de uma organização crescer e prosperar é observando o comportamento da concorrência.

Ficar de olho no que fazem as rivais, no entanto, não significa dizer fazer tudo ao contrário delas.

Se algo está funcionando, não há nada de errado em se inspirar na receita de sucesso.

Agora, se algo não vai bem, essa é a sua oportunidade de atacar uma carência alheia e oferecer uma solução personalizada para esse público que não tem suas necessidades atendidas de maneira satisfatória.

Para analisar a concorrência, uma boa ferramenta é a análise 360º, que propõe um olhar completo sob as perspectivas dos 4Ps (políticas, pessoas, processos e propósito) e, assim, fortalecer a competitividade na sua empresa.

Outro ótimo recurso são as pesquisas de mercado, que ajudam a entender o cenário e, a partir dele, construir a sua estratégia.

Ferramentas organizacionais

Por fim, temos as ferramentas organizacionais, que ajudam na sistematização da empresa.

Um dos princípios básicos da gestão de negócios é a organização e isso só pode ser obtido com informações de fácil acesso e reunidas de maneira ordenada e prática.

Nesse sentido, você pode contar com duas ferramentas bastante conhecidas no ambiente organizacional: CRM e ERP.

A Customer Relationship Management (CRM) ou, em bom português, Gestão de Relacionamento com o Cliente, funciona como uma base de dados de seus consumidores.

Ela traz dados relevantes como frequência de compra, ticket médio e informações de contato.

Já a Enterprise Resource Planning (ERP) ou Planejamento de Recursos de Empresas, em uma tradução livre, ajuda na emissão de papéis importantes e colabora no controle fiscal, tributário, de vendas e estoque, além dos mais variados processos, tudo de forma integrada.

Gestão de negócios: curso

As ferramentas de gestão de negócios, sem dúvida, podem ajudar e muito na administração profissional da sua empresa.

No entanto, seja para operar esses instrumentos ou para colocar em prática outros conceitos importantes para o sucesso organizacional, a solução é investir na sua capacitação profissional.

E o melhor é que não faltam opções no mercado para quem deseja crescer nessa área.

Só na AIEC, você encontra seis cursos voltados para a área de gestão de negócios, cada um com enfoque e grau de formação diferentes.

Por exemplo, no curso de Formação de Líderes, você vai aprender tudo para ser tornar um gestor de equipe bem-sucedido.

Já a graduação em Administração é um curso de nível superior, que capacita você a ser um profissional mais competitivo dentro do mercado de trabalho, seja na abertura do seu próprio negócio ou na progressão do seu plano de carreira dentro de alguma organização.

Outra alternativa é o MBA em Finanças, voltado para profissionais que desejam atuar na gestão de fundos, consultoria de investimentos ou como executivos em grandes empresas.

O que está esperando? Venha você também para a AIEC, a única faculdade de ensino a distância do Brasil com certificação internacional de qualidade, o ISO 9001, e com reconhecimento do MEC.

Acesse o site e tire todas as suas dúvidas.

gestao de negocios

Conclusão

Então, a gestão de negócios era o que você imaginava?

Alguma das ferramentas mencionadas no texto podem ser úteis na administração da sua empresa?

É bem provável que sim.

Mas, se você tem dúvidas de como usar esses instrumentos ou sobre como empregar as estratégias para o seu negócio, a educação continuada pode ajudá-lo.

De fato, para profissionalizar a gestão na sua empresa, você deve ter domínio da área. E a capacitação é a melhor forma de obtê-lo.

Você viu que a AIEC dispõe de vários cursos para quem deseja se especializar, não é mesmo?

Navegue pelo site da instituição e veja qual deles mais combina com o que você procura.

Gostou do artigo sobre gestão de negócios?

Caso tenha achado esse conteúdo relevante, compartilhe com seus amigos nas suas redes sociais e não se esqueça de deixar seu comentário sobre o que acabou de ler no espaço logo abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *