Gestão estratégica: o que é, tipos e ferramentas nas empresas

Você, provavelmente, já ouviu falar sobre gestão estratégica no contexto empresarial, mas sabia que o conceito também se aplica a outros âmbitos?

No esporte, por exemplo, esse termo pode ser usado na hora de traçar um planejamento para uma competição específica ou para garantir uma motivação extra em um momento decisivo. 

Tudo, na verdade, depende do objetivo definido.

Objetivo, aliás, é uma palavra muito importante quando o assunto é gestão estratégica. Digamos que existe uma relação obrigatória entre ambos.

Mas isso é tema para tratarmos mais à frente. 

Pronto para saber tudo sobre gestão estratégica? Sua definição, os diferentes tipos e as ferramentas que podem garantir o suporte necessário?

Então, boa leitura!

gestao_estrategica

O que é gestão estratégica empresarial?

Falamos no início deste artigo que a gestão estratégica pode ser empregada em diferentes conjunturas.

No entanto, a mais comum é a gestão estratégica empresarial. E a definição para ela é simples: toda e qualquer medida que vise determinado fim.

Nesse modelo de gestão, nada é por acaso. Tudo é friamente calculado e planejado para que os riscos sejam diminuídos e os resultados, otimizados.

Mais à frente, veremos que, dentro de uma organização é possível estabelecer um planejamento estratégico para cada área conforme os objetivos traçados.

Isso acontece porque a gestão estratégica empresarial é pautada por metas.

Afinal, para um negócio atingir o tão sonhado crescimento sustentável, ele precisa se preparar, definir prioridades e ir, paulatinamente, alcançando uma a uma.

Como a gestão estratégica funciona?

Tão fácil quanto definir a gestão estratégica é colocá-la em prática. 

São, basicamente, quatro momentos que precisam ser levados em conta para que isso possa acontecer. 

Veja quais são:

  • Diagnóstico: momento de avaliar a situação do negócio e ver o que precisa ser feito para que haja uma mudança de cenário
  • Objetivos: com base nessa análise, elencar prioridades e estabelecer prazos para que essas metas sejam cumpridas
  • Ação: colocar a mão na massa e fazer de tudo para alcançar os resultados dentro do tempo estimado
  • Balanço: fazer um levantamento do que foi feito, verificar os aspectos positivos e negativos e se preparar para novos desafios.

Importância da gestão estratégica nas empresas

Caso você ainda esteja em dúvida sobre a importância da gestão estratégica nas empresas, listamos alguns benefícios que esse modelo de administração traz para as organizações.

Acompanhe a lista!

  • Automatização de processos
  • Otimização e mensuração de resultados
  • Viabilização financeira
  • Análise conforme o desempenho
  • Crescimento sustentável
  • Inovação
  • Aumento da relação custo-benefício
  • Retenção de talentos
  • Motivação e engajamento dos colaboradores
  • Segmentação de mercado precisa
  • Ações de marketing assertivas
  • Definição de prioridades
  • Valorização do trabalho coletivo.

Tipos de gestão estratégica e seus objetivos

Conforme dito anteriormente, cada segmento de uma empresa pode e deve implementar a sua própria gestão estratégica a partir dos objetivos estabelecidos. 

Vamos, agora, conhecer alguns exemplos em diferentes setores organizacionais:

Gestão estratégica de pessoas

A gestão estratégica de pessoas, obviamente, tem relação direta com os colaboradores de uma empresa. 

Já faz tempo que essas figuras deixaram de ser apenas a força braçal das organizações para se tornarem capitais intelectuais.

Por isso, é tão importante dar toda atenção às pessoas. 

Um objetivo que deve estar sempre em pauta nesse sentido é a garantia da manutenção da motivação e do foco dos funcionários. 

Algo que pode ser assegurado, por exemplo, com o incremento de bonificações, prêmios e rendimento por produtividade.

Gestão estratégica de negócios

Esse tipo de gestão estratégica possui um conceito muito mais amplo. 

Afinal, “negócios” podem ter múltiplos significados no contexto organizacional.

Para trazermos um exemplo de objetivo aqui, vamos estabelecer que a definição do termo é a variedade de produtos e serviços oferecidos por uma empresa, certo?

Nesse caso, uma meta que poderia ser definida é a escolha entre se especializar nos itens que possuem um apelo maior ou abraçar a ideia de diferenciar ainda mais as opções para os clientes. 

Gestão estratégica de custos

Para uma empresa ter um crescimento sustentável, ela precisa estar com as suas finanças bem equalizadas. 

E isso significa ter um bom controle dos custos da produção.

Nesse sentido, a gestão estratégica deve elaborar planos em que o desperdício seja mínimo para economizar e evitar o retrabalho.

Investir na produção enxuta, usando os princípios do Lean Manufacturing (ou Sistema Toyota de Produção), pode ser uma ótima pedida.

Não custa lembrar que, quando falamos da redução de custos, não estamos nos referindo apenas ao dinheiro em si, mas também ao tempo e a própria energia dos colaboradores.

Gestão estratégica de recursos humanos

O setor de recursos humanos é o grande responsável por, entre outras funções, coordenar os processos seletivos das organizações.

Ou seja, é ele que oferece os subsídios para que sejam tomadas as decisões de quem deve ser contratado ou não para assumir vagas em aberto.

Ao aplicar a gestão estratégica no RH, é possível, por exemplo, melhorar a assertividade nos recrutamentos e diminuir o índice de turnover.

Como? Qualificando a descrição dos cargos, definindo um perfil específico para a função, priorizando os processos seletivos internos e as recolocações profissionais. 

Gestão estratégica da qualidade

A gestão estratégica, por si só, já é pauta pela busca implacável pela qualidade. 

Muito mais do que o lucro pelo lucro, ela tem como objetivo oportunizar o desenvolvimento contínuo de uma organização.

Mas, se você deseja garantir que todos os setores da sua empresa entreguem o máximo que podem, com eficiência e produtividade, uma meta que pode ser aplicada é a realização periódica de análises de desempenho.

Assim, as lideranças conseguem ter um controle maior do que está sendo feito, do que está bom e do que precisa ser melhorado.

Gestão estratégica de vendas

Ainda que a qualidade seja importante, não há como negar que o que faz um negócio sobreviver é o lucro.

Por isso, ter uma boa gestão estratégica na área de vendas é fundamental para a sustentabilidade da sua empresa.

O importante aqui é definir metas alcançáveis, que correspondam à realidade do empreendimento. 

Não adianta projetar um crescimento de 50% em um ano se o seu setor está em crise ou o país passa por problemas financeiros.

Mantenha os pés no chão e tome como base os hábitos de consumo dos seus clientes na hora de fazer estimativas. 

gestao_estrategica

Gestão estratégica de marcas

Não é fácil ter uma marca forte, especialmente para empresas que estão entrando no mercado.

Tudo faz parte de um processo natural de crescimento e valorização. Mas, por meio da gestão estratégica, é possível agilizar um pouco esse processo.

Hoje em dia, mais do que comprar um produto que está na moda, as pessoas buscam correspondência, ou seja, consumir em uma empresa com a qual se identificam, que possua ideais próximos aos seus.

Logo, uma estratégia interessante é investir em responsabilidade social. 

Dedique-se a uma causa, uma bandeira em que, genuinamente, acredite, que tenha a ver com a sua cultura organizacional e, então, conquiste uma legião de seguidores.

Gestão estratégica de marketing

“Quem não é visto não é lembrado”. 

Quantas vezes você já não ouviu esse verdadeiro clichê do mundo dos negócios?

Pois é, mas apesar de ser um tanto quanto piegas, ele nunca fez tanto sentido quanto agora, na sociedade digital em que vivemos.

Portanto, você precisa ter uma gestão estratégica de marketing eficaz para que o seu público-alvo consiga assimilar as informações que deseja passar.

Um objetivo interessante a ser traçado nesse sentido é a segmentação de mercado. 

Assim, você delimita com precisão qual fatia de consumidores pretende atingir e definir estratégias personalizadas para eles.

Gestão estratégica da informação

A informação circula, mas é necessário garantir que ela chegue no outro lado da maneira como deveria. 

Não importa quem seja o público final (clientes, fornecedores, colaboradores), a comunicação precisa ser assertiva e efetiva.

Uma maneira de garantir isso é investir em ferramentas que facilitem o contato.

Por exemplo, no caso dos clientes, as redes sociais podem ser canais interessantes para trocar ideias, se aproximar e estimular a interação..

Já no caso dos colaboradores, passar feedbacks construtivos e periódicos sempre é uma ótima pedida.

Gestão estratégica da inovação

O mundo dos negócios também é feito de tendências. 

Estar atento às novidades do mercado é altamente recomendado para se manter atualizado e ativo do segmento.

Mas, às vezes, frente ao marasmo, você mesmo tem que ousar e inovar, não necessariamente em um produto em si, mas no atendimento ao cliente, na logística, no transporte ou em qualquer outro setor.

O segredo é se perguntar o que é possível fazer de novo para criar um diferencial competitivo. 

Chame os colaboradores para participar, incentive as novas ideias e premie, de alguma maneira, a sugestão mais criativa. 

Gestão estratégica de resultados

Não é porque o balanço de um mês foi ruim que os próximos também vão ser. 

Com uma gestão estratégica de resultados, a ideia é justamente monitorar as informações disponíveis, por meio de indicadores de desempenho, e ver o que pode ser feito de diferente.

Afinal, se algo não está ocorrendo conforme o esperado, uma medida precisa ser tomada, o que só é possível com uma boa dose de organização e planejamento.

Gestão estratégica de operações

Uma empresa é composta de diversas operações: produção, distribuição, manufaturas, comercial e por aí vai.

Investir em uma gestão estratégica nesse setor significa elencar prioridades em cada uma das áreas afins a ele.

Por exemplo, será que não está na hora de investir em um sistema de acompanhamento de cargas mais informatizado? Ou automatizar alguns processos produtivos? 

Gestão estratégica financeira

Como está o seu fluxo de caixa? E o capital de giro? Existe margem para novos investimentos ou o momento é de segurar as pontas por um tempo?

Essas e outras perguntas podem ser respondidas com uma boa gestão estratégica financeira.

Gestão estratégica competitiva

O que você pode fazer para se destacar entre a concorrência voraz do mercado?

Será que vale a pena investir no que está dando certo e consolidar um lugar de destaque? 

Ou quem sabe é a hora de ousar e tentar desbancar as rivais que estão na liderança com outro produto?

A gestão estratégica competitiva pode dar essa resposta.

Gestão estratégica do risco

Quem foi que disse que, ao implementar uma gestão estratégica, uma empresa não está sujeita a riscos?

Nada disso, não é porque há planejamento e organização que não existem ameaças. 

A grande questão é calcular muito bem esses perigos e estimar as consequências antes de dar o próximo passo.

Uma boa análise de mercado e avaliação de contexto podem ajudar a dirimir esses riscos. 

Principais ferramentas para gestão estratégica

Para colocar em prática os objetivos desses diferentes tipos de gestão estratégica, você pode contar com a ajudinha de ferramentas muito úteis. 

Preparamos uma lista com algumas das mais conhecidas e eficientes:

  • Análise SWOT
  • Diagrama de Ishikawa
  • 5W2H
  • FMEA
  • 6-Sigma
  • Ciclo PDCA
  • Diagrama de Pareto
  • Just in time
  • Kanban
  • Balanced Scorecard
  • BCG
  • 5 Forças de Porter
  • GUT
  • Canvas.

Como se tornar um gestor melhor?

O suporte das ferramentas para a gestão estratégica é fundamental para que a sua empresa possa atingir os resultados esperados.

Mas, se o seu objetivo é se tornar um profissional mais completo, a saída mais eficaz é investir na sua própria capacitação.

A boa notícia é que alternativas não faltam para quem deseja se destacar nesse segmento.

Só na Associação Internacional de Educação Continuada, a AIEC, existem seis cursos específicos para a área de gestão, com enfoques e direcionamentos diferentes.

Por exemplo, a graduação em Administração é um curso de nível superior, capaz de torná-lo um profissional mais competitivo dentro do mercado de trabalho.

Outra alternativa é o MBA em Finanças, voltado para profissionais que desejam atuar na gestão de fundos, consultoria de investimentos ou como executivos em grandes empresas.

Já no curso de Formação de Líderes, você vai aprender a orientar e a guiar uma equipe em busca de resultados incríveis.

E aí, o que você está esperando? 

Venha para a AIEC, a única faculdade de ensino a distância do Brasil com certificação internacional de qualidade, o ISO 9001, e com reconhecimento do MEC.

Acesse o site e tire todas as suas dúvidas.

gestao_estrategica

Conclusão

E, então, ficou claro o conceito de gestão estratégica?

Colocar em prática esse modelo administrativo, nos mais diversos setores da sua empresa, pode contribuir muito com o sucesso organizacional.

Afinal, com planejamento e organização, é possível ser mais assertivo em busca dos objetivos. 

Mas, se você sente dificuldade em empregar esse tipo de gestão na sua empresa, talvez seja o momento de apostar em capacitação.

Na AIEC, você encontra vários cursos com diretrizes diferentes. Navegue pelo site, leia sobre as formações e escolha a opção que mais combina com você e com o que procura.

Gostou do artigo sobre gestão estratégica? 

Então, não se esqueça de compartilhar o conteúdo com os seus amigos em suas redes sociais e deixe o seu comentário no espaço logo abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *