7 ideias de negócios lucrativos para abrir sua empresa em 2019

Você é do tipo que adoraria empreender, mas que sempre acaba concluindo que negócios lucrativos precisam de grandes investimentos financeiros? Parece que está na hora de rever alguns conceitos.

É inevitável: o mercado de trabalho tem passado por intensas transformações e, cada vez

mais, pessoas buscam não apenas estabilidade, mas também a chance de equilibrar o sucesso profissional com a qualidade de vida.

O ideal é, basicamente, trabalhar com aquilo que gosta, ter mais flexibilidade, tempo para curtir a família e os amigos, ser o seu próprio chefe e ainda conseguir um bom rendimento financeiro.

E isso tem tudo a ver com o espírito empreendedor e a busca por desenvolver negócios lucrativos e de baixo – ou até mesmo nenhum – investimento.

Muitas pessoas ficariam surpresas ao saberem o quanto é possível se desenvolver no campo profissional tendo como único instrumento um computador com acesso à internet.

Curioso para saber como isso é possível?

Podemos adiantar que não existe nenhuma receita mágica, apenas uma profunda compreensão do mercado e suas tendências.

Leia o artigo até o final e descubra!

negocio-lucrativo

O que são negócios lucrativos?

Definir um negócio como lucrativo ou não vai depender muito da sua expectativa de retorno.

Algumas opções podem não precisar de investimento inicial, o que transforma todo o resultado em lucro. Mas, isso não significa, necessariamente, um alto rendimento.

De modo geral, podemos definir um empreendimento como lucrativo quando ele se transforma em sustentável financeiramente.

Para entender melhor o conceito e tudo que ele engloba, vamos a algumas contextualizações.

Definição de lucro

Se você não é exatamente um especialista em economia ou contabilidade, é bem possível que já tenha passado por maus bocados para entender as questões financeiras que envolvem a criação e a manutenção de uma empresa.

Se você procurar no dicionário pelo significado da palavra lucro, vai encontrar algo como:

Ganho obtido como resultado da diferença entre o custo de produção e a receita.

E é justamente isso que você deve considerar: de nada adianta que a receita bruta seja alta se houver a necessidade de deduzir uma série de gastos desse valor.

Nesse sentido, negócios que exijam baixo investimento oferecem muito mais segurança e perspectivas, especialmente em um momento de instabilidade econômica.

Quando um negócio começa a dar lucro?

Uma pesquisa do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) lançada em 2016 mostra que a taxa de sobrevivência das empresas com até dois anos de atividade é equivalente a 76,6% no Brasil.

Ou seja, 23,4% delas não chegam a completar dois anos de existência no mercado.

E por que esse número é tão importante?

Justamente porque esse período é o tempo médio que as empresas demoram para começar a ter lucro.

Mas, ainda que esse seja um número bastante difundido, não dá para se basear apenas na média para tomar as decisões sobre o seu próprio negócio, não é mesmo?

A dica, então, é calcular o prazo de retorno do investimento (PRI) – também chamado de payback – e fazer individualmente, considerando os números de cada empreendimento.

De forma simples, como o próprio nome já sugere, essa métrica é capaz de mostrar qual é o período de tempo necessário para que todo o investimento feito seja recuperado – e para que, dali em diante, seja possível falar em lucro.

Se uma empresa conta com um PRI de dois anos, isso significa que dois anos após o início das atividades é que será possível começar a recuperar, na forma de lucro, o montante aplicado no negócio.

A fórmula é bastante simples:

  • PRI = investimento total/lucro líquido.

O que torna um negócio lucrativo?

Vamos devolver a pergunta: o que faz você desejar consumir algo?

Para ter um negócio lucrativo, certamente, não basta um alto investimento.

Do contrário, empresas milionárias nunca perderiam espaço no mercado.

Antes de tudo, é preciso entender que a lucratividade só vai acontecer se o seu produto ou serviço for bem aceito pelo público com o qual deseja dialogar.

Isso significa criar diferenciais competitivos e compreender como o mercado e, sobretudo, o consumidor se movem.

Se você pensar por um momento, é bem provável que possa se recordar de empresas que decidiram surfar na onda de verdadeiros fenômenos – aqueles tipos de negócios que, quando você percebe, estão presentes em todas as esquinas que cruza.

Nos primeiros meses, o movimento é intenso e a clientela chega de maneira natural.

No entanto, o tempo passa e a moda logo já é outra. Quando isso acontece, fica difícil manter o padrão de lucratividade.

Por isso, mais do que pensar em movimentos efêmeros, é importante conhecer a fundo o próprio público.

Isso significa entender o que ele busca e quais motivos o levam a considerar uma marca como referência.

Oferecer soluções inovadoras, capazes de unir criatividade, sustentabilidade e praticidade, costuma ser uma boa receita a seguir.

Alguns dos principais serviços por aplicativo da atualidade mostram o quanto isso é verdadeiro.

Tipos de negócios lucrativos: segmentos em alta

E por falar em serviços por aplicativo, você conseguiria dizer o que todos eles possuem em comum, independentemente do ramo de atuação?

A resposta é bastante simples: o uso da tecnologia.

Criados como soluções digitais, que unem inteligência e conectividade, eles mudaram a maneira como vivemos e ajudam a vislumbrar o que o futuro reserva.

Com as possibilidades criadas pelo universo digital, é uma realidade cada vez mais comum termos empreendedores que desenvolvem todo o seu trabalho com baixo investimento e sem nem sequer sair de casa.

Todos eles, em menor ou maior grau, costumam reunir algumas das características abaixo:

  • Trabalham com o que gostam
  • Priorizam negócios 100% digitais
  • Partiram de uma análise ou percepção de mercado para criar soluções inovadoras
  • Entendem a importância de montar um plano de negócios
  • Costumam instalar a empresa no espaço da própria casa
  • Fazem da criatividade um exercício diário
  • Buscam usar ferramentas digitais como forma de impulsionar o negócio
  • Possuem grande foco na qualidade do atendimento prestado, buscando criar relações mais humanas com o público.

E aí, todas essas características fazem sentido para você?

Então, vamos falar sobre alguns segmentos que estão em alta para quem deseja empreender.

Como já deu para notar, a área da tecnologia é sempre uma boa opção.

Mas, mesmo que esse não seja o seu segmento específico, é importante que ela apareça como plano de fundo – uma verdadeira aliada.

Na mesma batida, estão os negócios relacionados à produção e análise de dados.

Seja na área da saúde, como forma de desenvolver diagnósticos e tratamentos cada vez mais precisos, ou mesmo na área de vendas, como uma alternativa para atingir o público certo, esse é um segmento que só tende a crescer.

É por isso que você ouve falar tanto em termos como big data.

E isso não é por acaso: nunca foram gerados tantos dados como atualmente.

O modo como essas informações serão tratadas, aliás, prometem trazer grandes transformações ao mercado de trabalho.

Segundo pesquisa divulgada em 2019 pela International Business Machines Corporation (IBM), ao longo dos próximos três anos, um total de 120 milhões de trabalhadores das dez maiores economias mundiais vão precisar de recapacitação profissional.

A medida é uma consequência do impacto gerado pela utilização da inteligência artificial e da automação inteligente nas empresas.

Só no Brasil, a estimativa é de que 7,2 milhões de profissionais devam ser treinados com novas habilidades que se adaptem ao futuro avistado pela evolução da tecnologia. Quer conhecer outras opções promissoras? Siga com a gente.

negocio-lucrativo

Os melhores negócios lucrativos de 2019: 3 ideias

Considerando tudo isso que vimos no artigo até agora, aproveite para conferir a lista que preparamos com 5 ideias de negócios lucrativos para começar ainda neste ano.

1. Alimentação saudável

A área de alimentação nunca parece sair de moda.

Em 2018, mesmo diante da crise econômica e da retração de muitos setores, o setor alimentício registrou crescimento de 2,08% no País, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia).

E essa tendência é ainda mais presente quando falamos de comida saudável, tanto do ponto de vista da origem dos produtos quanto do valor energético de cada um deles.

Por isso, são muitas as segmentações possíveis. Cada uma delas disponível para atender uma demanda específica de mercado.

A produção da chamada carne vegetal, por exemplo, tem gerado grandes expectativas entre as grandes empresas.

Ainda assim, a simples oferta de pratos sem produtos de origem animal – mas nem por isso sem sofisticação – já é capaz de atrair a atenção do público.

A produção de marmitas congeladas também é outra alternativa que tem crescido.

O objetivo é atingir, sobretudo, quem trabalha demais e acaba não tendo tempo para cozinhar, mas que também deseja fugir das tentações e dos preços dos buffets.

2. Coworking

Se trabalhar remotamente é uma tendência, também é natural que os profissionais busquem espaços para sair da rotina solitária de home office e desenvolver a criatividade.

Foi a partir dessa proposta que surgiram os chamados coworkings.

E que tal se você abrisse um?

Ao todo, o Brasil já conta com 1.194 espaços desse tipo, que variam de 50 a 5.000 metros quadrados, tanto nas capitais quanto no interior.

Para se ter uma ideia, em 2015, existiam apenas 238 coworkings mapeados no país.

Os números são do Censo Coworking Brasil, de 2018, e mostram uma oportunidade de investimento em um mercado que está em plena expansão.

3. Brechós

Em total sintonia com a ideia de sustentabilidade, ressurgem os brechós, que buscam reforçar a ideia de consumo consciente de roupas a partir do reaproveitamento das peças.

Uma das principais facilidades para quem deseja começar é a opção de vender apenas online, enviando os itens a partir do pagamento de frete.

Alternativas simples de e-commerce e marketplace não faltam, algumas delas até mesmo gratuitas.

É possível focar na venda de peças de luxo, vintage, infantis ou mesmo adotar um estilo mais genérico.

O importante é garantir uma boa seleção de peças, agilidade no envio e reforço constante dos princípios da marca.

Como o investimento inicial para quem começa com uma loja virtual é baixo, o retorno financeiro pode surpreender.

Esse modelo de negócio está cada vez mais desenvolvido e tem atraído o público.

Falta dinheiro? Veja 4 negócios lucrativos de baixo investimento

Vamos dar sequência à nossa lista de negócios lucrativos com mais quatro ideias para a sua avaliação.

Se o que você deseja são opções que possam ser postas em prática de forma rápida e com custo ainda menor, estas dicas são a sua cara.

4. Redação para empresas

Se você possui bom domínio da Língua Portuguesa, gosta de escrever sobre variados assuntos e adora consumir conteúdo digital, a produção de texto para empresas pode ser uma alternativa e tanto – especialmente se estiver focado em assuntos que são a sua praia.

Além do baixo custo – basta ter um computador com acesso à internet -, essa é uma alternativa que permite organizar seus próprios horários e gerenciar a demanda atendida com facilidade.

5. Infoprodutos

Em uma linha semelhante, estão os chamados infoprodutos, que são materiais de informação criados e distribuídos de maneira digital, sejam eles pagos ou não.

Em muitos casos, são materiais voltados para cursos online, como videoaulas, apostilas, audiobooks e ebooks.

6. Marketing de afiliados

Outra tendência em crescimento é o marketing de afiliados, que traz um conceito bastante simples.

Ao se tornar afiliado de uma marca, você divulga os produtos ou serviços em seus canais (website, redes sociais, blog ou qualquer outro espaço) a partir de um link ou cupom específico.

Assim, ganha uma comissão para cada venda gerada.

Quanto maior for a sua capacidade de engajamento, maior também vai ser o seu lucro.

7. Franquias de baixo custo

Quando falamos em franquias, é comum vir à mente a ideia de altos investimentos. Mas,nem sempre precisa ser assim, como mostra a Associação Brasileira de Franchising (ABF).

No site da entidade, é possível encontrar listas que incluem opções a partir de R$ 3 mil.

A principal vantagem é já iniciar com um negócio bem estruturado, que possui padrões específicos e reconhecimento de mercado.

Entre as franquias de valores mais baixos estão as marcas relacionadas ao universo do turismo e intercâmbio – opção em alta entre o público jovem.

negocio-lucrativo

Negócios lucrativos para o futuro: o que vem por aí

Já falamos muito sobre o papel da tecnologia no desenvolvimento e nas perspectivas de mercado, certo?

Também ressaltamos como ele percorre negócios das mais variadas áreas, justamente por se tornar uma necessidade para a criação de soluções personalizadas, que conversem com a realidade vivida hoje pelas pessoas.

Além disso, abordamos ainda a importância de compreender o público e as suas tendências, não é mesmo?

Bom, resolvemos retomar todos esses pontos para falar de duas áreas que estão muito conectadas com esse cenário e que dialogam entre si: sustentabilidade e veganismo.

Se você não é exatamente muito próximo de ambas, talvez ainda torça o nariz ao ouvir essas palavras e todos os conceitos trazidos por elas.

Agora, se o seu objetivo é manter o seu negócio relevante, vale a pena refletir sobre o assunto.

Movidas por uma demanda de consumo, cada vez mais empresas buscam reduzir o impacto que geram no meio ambiente, seja abandonando o uso de produtos de origem animal, trocando o plástico por materiais biodegradáveis ou ainda pensando em pequenas ações capazes de impactar positivamente a comunidade em que estão inseridas.

Nem mesmo grandes marcas conhecidas por um modelo pouco sustentável e baseado no consumo de carne ficam de fora dessa tendência de renovação.

Segundo dados de mercado, a gigante Burger King vendeu um milhão de unidades do seu lanche vegano em 2018 no Brasil – um aumento de 30% em relação a 2017.

Conclusão

E aí, o artigo ajudou você a escolher uma opção de negócio lucrativo?

Como deu para ver, alternativas não faltam, independentemente do valor disponível para investimento.

O próximo passo para tornar real o seu sonho de ter uma empresa de sucesso é investir em você mesmo. Ou seja, na sua formação e atualização profissional.

Sempre que quiser aprimorar os seus conhecimentos, conte com a AIEC.

A instituição é especializada em formar profissionais com capacidade empreendedora, preparados para competir em um mercado de constantes inovações.

Gostou do texto? Aproveite para compartilhar nas suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *