Plano de negócios: o que é, como fazer, etapas e exemplos

Plano de negócios

Quem deseja empreender, precisa de um plano de negócios.

E a razão para isso é simples: esse é um documento imprescindível para traçar uma rota de sucesso para a empresa.

É o que permite a ela, por exemplo, dar os primeiros passos com maior segurança. Também definir metas e ações para realizá-las, mesmo em cenários de grande dificuldade, fruto de oscilações do mercado.

No entanto, por mais básico que seja o instrumento, nem todo empreendedor dá a devida atenção a ele.

O que acontece nestes casos, invariavelmente, é a interrupção do sonho.

Segundo o mais recente levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), com dados do Cadastro Central de Empresas (Cempre), o número de fechamento de empresas supera o de aberturas há três anos consecutivos.

Os dados da pesquisa destacam 648,5 mil novos negócios e a morte de outros 719,6 mil em um período de 12 meses.

Mesmo entre as sobreviventes, não costuma haver perspectiva de longevidade: só 38% alcançaram pelo menos cinco anos de atividades.

Mas o que tudo isso tem a ver com o plano de negócios, tema deste artigo?

É o que você vai entender ao seguir na leitura.

A partir de agora, vamos falar sobre a importância do documento e suas etapas para elaboração, além de destacar exemplos que vão servir de inspiração e suporte na tarefa. Quer se tornar um gestor mais completo? Continue lendo!

Plano de negócios

Plano de negócios: o que é?

Como o próprio nome já entrega, plano de negócios nada mais é do que um documento que analisa todas as perspectivas de um empreendimento.

Ao colocar os objetivos da empresa no papel, você consegue ter uma visão global do negócio. É possível, por exemplo, se precaver quanto a eventuais problemas que podem ocorrer e não sofrer tanto como os concorrentes em suas jornadas.

Por falar na concorrência, um plano de negócios consistente deve analisar o contexto no qual a empresa está inserida, verificando seus pontos fortes e de melhoria.

É o que permite analisar as oportunidades, encontrar um diferencial e elevar a sua competitividade entre as líderes do segmento no qual atua.

Afinal, será que a sua ideia é forte o suficiente para se incorporar ao mercado? Ou precisa de alguns ajustes? O plano o qualifica para encontrar as respostas.

Essa ferramenta de gestão também é fundamental nesse sentido: avaliar aspectos operacionais e as necessidades para que uma boa sacada se converta em um negócio viável e rentável.

Ou seja, em outras palavras, o plano de negócios é um documento que ajuda a preparar uma empresa a oferecer uma solução de valor, que atenda aos interesses e necessidades do seu público-alvo.

Mas não só isso, como também detalha exatamente como essa oferta será realizada, se antecipa aos principais riscos e ameaças, projeta os próximos passos e vislumbra possibilidades futuras.

Para que serve um plano de negócios?

Imagine que você tenha uma ideia realmente inovadora para abrir uma empresa. É uma proposta criativa, disruptiva, que pode revolucionar a forma como um serviço é oferecido no mercado.

Para que essa ideia se transforme em um negócio consistente, precisa tomar forma. E é justamente no planejamento que isso acontece.

Ou seja, um plano de negócios serve para transformar bons insights em empresas rentáveis.

Ou como você acha que a Uber se tornou referência no transporte por aplicativos, sendo a maior empresa do segmento mesmo sem ter um único carro próprio em sua frota?

Não foi obra do acaso, certamente. Tampouco um golpe de sorte.

Havia uma demanda de mercado que foi observada, mas a estruturação do negócio exigiu dar passos certeiros e planejados, como a definição de uma plataforma para conectar motoristas a passageiros, diretrizes para guiar pelo app, entre outras ações.

O exemplo vale para entender que, mais do que uma ótima ideia, toda empresa de sucesso tem um mapa que estabelece com clareza o caminho que o leva até lá.

E o plano de negócios é esse mapa.

Qual a importância do plano de negócios?

Se voltarmos à abertura deste artigo, observando os dados sobre empresas que fecham as portas no país, fica fácil compreender a importância do plano de negócios – e, principalmente, as consequências da falta dele.

Hoje, uma das principais dificuldades das empresas está relacionada à própria sobrevivência nos seus anos iniciais.

Se menos da meta alcança cinco anos de vida, temos aí um sinal de alerta.

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) elenca em seu estudo Causa Mortis as principais razões para o insucesso.

E adivinhe só qual aparece em destaque? Sim, a ausência de planejamento. A entidade destaca que o plano de negócios permite:

  • Conhecer os clientes e seus hábitos de consumo – o que 46% das empresas não sabem, segundo o estudo
  • Reconhecer lacunas no mercado – uma falha de 38% dos empreendimentos
  • Identificar a necessidade de capital de giro – ignorada por 39% dos negócios iniciantes
  • Analisar a concorrência e suas práticas – ação não realizada por 38% dos empreendimentos
  • Determinar o lucro pretendido – o que 50% não fazem
  • Conhecer as opções de fornecedores – uma falha identificada em 33% dos negócios
  • Definir a melhor localização para a empresa – uma demanda que 37% não sabem precisar.

Em resumo, o Sebrae observou que 55% dos negócios analisados não tinham um plano de negócios – e isso explica a alta taxa de mortalidade entre eles.

Plano de negócios

Etapas do plano de negócios

Um plano de negócios é um documento, não uma metodologia.

Ainda assim, tem uma sequência de etapas pré-definida, o que ajuda bastante na sua elaboração.

São passos que vão desde o amadurecimento da ideia do negócio, como, por exemplo, análise do mercado, definição do público-alvo, escolha de fornecedores e detalhes sobre o tipo de produto e serviço a ser oferecido até questões mais operacionais e de ordem financeira.

No próximo tópico, vamos apresentar um passo a passo onde cada uma das etapas do documento será detalhada.

Leve em conta essas informações na hora de elaborar o seu planejamento.

Como fazer um plano de negócios: passo a passo

Para facilitar a sua compreensão, preparamos um passo a passo, trazendo as etapas mais importantes de um plano de negócios e o que deve ser feito em cada uma delas.

Confira!

Sumário executivo

É uma descrição clara e concisa de todo o plano de negócios.

No documento, devem constar informações como: missão da empresa, capital social, atividades econômicas e fonte dos recursos.

Análise de mercado

Etapa na qual acontece uma leitura mais ampla do cenário no qual o negócio vai se estabelecer.

São levados em conta os principais concorrentes, os potenciais fornecedores, o público-alvo e as perspectivas macroeconômicas.

Plano de marketing

Resumo dos produtos e serviços a serem comercializados, bem como seus preços e as estratégias para publicizar os mesmo.

Nesse ponto, são pensadas as estratégias de marketing para lançar novidades no mercado e quais vão ser os canais de veiculação e distribuição utilizados.

Plano operacional

Passo em que é pensando qual é o arranjo físico mais indicado, a real capacidade produtiva e comercial, os processos operacionais, logísticos, de transporte e estoque, além da necessidade de mão de obra.

Plano financeiro

É a etapa que vai indicar a viabilidade do negócio.

Nela, são calculados os investimentos fixos, o capital de giro, as estimativas de faturamento e lucratividade, ponto de equilíbrio e prazo de retorno do capital alocado.

Simulação de cenários

É aqui que você vai tentar prever e se antecipar às mais diversas situações que podem afetar positiva ou negativamente o negócio.

Mesmo que nenhuma simulação corresponda com exatidão a determinado cenário prático, é uma forma de o empreendedor se preparar para o futuro, como momentos de crise, baixas na produção e problemas com fornecedores, por exemplo.

Plano de negócios

Exemplo de planos de negócios por atividade

As etapas que relacionamos anteriormente se aplicam a qualquer plano de negócios. Porém, é natural que você busque dicas mais específicas ao seu ramo de atuação.

Por exemplo, um plano de negócios para uma loja física é bem diferente do de e-commerce. Assim como o de uma lavanderia não é o mesmo de um pet shop.

Então, não deixe de navegar pelos tópicos abaixo e ver o que não pode ficar de fora no plano de negócios da sua empresa!

Plano de negócios de cafeteria

É muito importante dar atenção especial ao seu carro chefe: o café.

Por isso, todo o cuidado é pouco na hora de filtrar bem a água, escolher corretamente os grãos, comprar e garantir a eficiência das máquinas e treinar os seus funcionários.

O ideal é contar com um barista, um especialista que conhece tudo sobre o café, desde a sua extração até receitas mais elaboradas com a bebida.

Um bom diferencial é investir em diferentes formas de extrair o café. Prensa francesa, moka, hario V60 e aeropress são alguns dos métodos mais conhecidos no mercado.

Plano de negócios de restaurante

Muitas pessoas que desistem da ideia de abrir um restaurante o fazem por não ter nenhum talento culinário.

No entanto, saber cozinhar não é o principal fator determinante para ter sucesso nesse segmento.

Aliás, para ter um negócio bem-sucedido no ramo alimentício é necessário alcançar uma combinação de fatores, como: bom atendimento, preço justo, cardápio variado e localização privilegiada.

É preciso estar muito atento ao tipo de público que você pretende atingir. Restaurantes a la carte, por exemplo, costumam funcionar melhor à noite, com um tíquete maior em jantares.

Por outro lado, estabelecimentos com comida por quilo (self service) dão uma resposta melhor ao meio-dia, nos almoços. Isso vale especialmente se o local é próximo de espaços comerciais com um fluxo intenso de trabalhadores.

Plano de negócios de salão de beleza

O principal ponto de atenção ao abrir um salão de beleza – além da questão legal (não confundir com centro estético) – é com relação à higiene do local e dos equipamentos utilizados.

Tenha cuidado especial com o tipo de ceras utilizadas, com o reaproveitamento de instrumentos (sempre preferir produtos descartáveis) e com substâncias químicas que podem causar risco à saúde dos consumidores.

Faça escolhas certeiras e estabeleça essa previsão no plano de negócios.

Plano de negócios de loja de roupas

Aqui, a pesquisa de mercado é ainda mais importante. O seu planejamento deve prever questões como:

  • Qual tipo de roupa você quer vender na sua loja?
  • Qual é o tipo de público que pretende atingir?
  • A vizinhança é compatível com o tipo de negócio que vai abrir?

Além disso, outro ponto importante é: qual vai ser o seu modelo de negócio? A ideia é abrir uma franquia de uma grande marca ou trabalhar com diferentes fornecedores?

Plano de negócios de pet shop

A concorrência neste nicho de mercado é grande, então, você precisa possuir algum tipo de diferencial que vá muito além do banho e tosa.

Investir em uma hospedagem, radiologia veterinária, tratamento de pequena e média complexidade, transporte animal e atendimento à domicilio podem ser algumas alternativas interessantes para se sobressair.

Plano de negócios de startup

O plano de negócios em uma startup é ainda mais importante do que em uma empresa dita tradicional.

Isso porque você precisa provar que a sua ideia inovadora pode, de fato, se transformar em um projeto rentável e consolidado.

Ou seja, deve mostrar para os investidores e clientes em potencial a viabilidade comercial da sua oferta. Algo que só é possível através de evidências claras e de um plano de negócios bem fundamentado.

Vale estudar e se aprofundar no conceito de MVP, que corresponde à versão viável para o lançamento da solução proposta pela startup.

Plano de negócios de lavanderia

Seja qual for o ramo que você deseja seguir (domiciliar ou empresarial), a palavra-chave aqui é confiança.

As pessoas não vão entregar suas roupas, uniformes e outros artigos para uma empresa que faz um serviço mal feito.

Você pode argumentar que em todos os negócios é assim, e está certo, mas estamos falando de higiene e de uma atividade que poderia ser realizada em casa.

A pergunta que você precisa fazer é: tirando a questão econômica, por que alguém vai deixar de lavar suas próprias roupas com segurança para delegar isso a uma empresa?

Plano de negócios de consultoria

Qual é o tamanho da estrutura que você gostaria de contar?

Um negócio na área de consultoria pode exigir um investimento significativo nesse quesito.

Por exemplo, se você quer ter um espaço completo com direito a recepção, sala de reuniões e escritores particulares, o aluguel de um imóvel comercial desse porte exige um orçamento maior.

Se não for o caso, um espaço de coworking pode ser suficiente para o seu dia a dia.

Plano de negócios de loja virtual

Existem milhões de e-commerce espalhados pelo mundo todo. Só no Brasil, o segmento faturou 53,2 bilhões de reais em 2018, segundo levantamento do Ebit / Nielsen.

Logo, para se destacar, você precisa investir em um plano de marketing, usabilidade e acessibilidade da sua página de venda.

Uma loja virtual pode começar pequena, como em um marketplace do tipo Mercado Livre. Mas se quiser ter endereço próprio na web, você terá que investir.

E, se for o caso, preveja no plano de negócios toda a sua necessidade de capital.

Plano de negócios de imobiliária

Muito importante se atentar para as questões legais. Para abrir uma imobiliária, é preciso estar credenciado ao Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) do seu estado.

Além disso, de todos o modelos de negócios, esse é um dos mais imprevisíveis.

O mercado imobiliário vive em um sobe e desce constante, o que torna difícil a possibilidade estimar os rendimentos.

Mas essa necessidade existe – e precisa estar bem clara no seu plano de negócios.

Plano de negócios de academia

Academia é um tipo de negócio em que se exige um investimento inicial grande.

Só na compra ou no aluguel dos aparelhos, já vão algumas dezenas e até centenas de milhares de reais.

Isso sem falar na equipe multidisciplinar que conta com instrutores, personal trainers, fisioterapeutas, educadores físicos e por aí vaí.

Mas significa que é mau negócio? Nada disso.

Só não se esqueça para prever capital de giro para ter retorno financeiro apenas no médio e longo prazo.

Conclusão

Vimos neste artigo o quão fundamental um plano de negócio é para colocar uma empresa no caminho do sucesso.

O documento é especialmente voltado a projeto iniciantes, mas também apoia empreendimentos que pularam essa etapa em sua fundação.

Afinal, nunca é tarde para traçar um mapa que o coloque em vantagem no mercado.

Se você quer ser um líder qualificado e um administrador bem-sucedido, invista em um bom plano de negócios e também em você.

Com o curso de Bacharelado em Administração da Associação Internacional de Educação Continuada – AIEC, você está mais do que preparado para os desafios.

Além disso, você conta com a praticidade e a excelência de estudar na única instituição de ensino à distância no Brasil com certificação internacional ISO 9001.

O que você está esperando? Acesse agora mesmo o nosso site, conheça nossos cursos e comece a construir uma carreira de sucesso no nicho que desejar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *