Projetos de financiamento: conheça a área, o curso e como elaborar projetos

Projetos de financiamento são alternativas muito eficientes para levantar um recurso extra de forma segura e nas melhores condições do mercado.

Nessa modalidade, existem inúmeras formas de obter o dinheiro emprestado. E, além disso, os recursos podem ser utilizados para diferentes fins.

Se você é produtor rural, por exemplo, pode solicitar linhas de crédito para modernizar a estrutura de produção do seu negócio.

Para quem tem uma ideia inovadora e quer abrir uma startup, o financiamento coletivo ou pode ser uma opção interessante.

Aliás, esse tipo, também chamado de crowdfunding, tem crescido bastante no Brasil. 

Segundo a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), cerca de R$ 46 milhões foram captados por pequenas e médias empresas nas principais plataformas em 2018.

Agora, vale ressaltar que os aportes não se limitam ao âmbito profissional. 

Eles também ajudam a oportunizar sonhos pessoais, como o da casa própria. Nesse caso, o financiamento imobiliário é o modelo recomendado.

Portanto, em diversos cenários, os projetos de financiamento são saídas mais viáveis, principalmente se forem bem planejados e com condições de pagamento que caibam no bolso do contratante.

Ficou interessado pelo tema? 

Então, permaneça no artigo. Boa leitura!

projeto de financiamento

O que são projetos de financiamento?

Projetos de financiamento são documentos elaborados por empresas e pessoas físicas com todas as informações necessárias para solicitar um empréstimo perante as instituições e os canais competentes.

Com base nessas propostas, os possíveis contratantes demonstram um conhecimento aprofundado sobre a situação colocada.

Em consequência, alcançam maior credibilidade e melhor margem na hora de negociar prazos, contrapartidas, condições de pagamento, períodos de carência, entre outras particularidades. 

Para que serve um projeto de financiamento?

Para uma empresa solicitar um financiamento em um banco ou qualquer outro meio, é necessário seguir uma série de normas e diretrizes.

Nem todo mundo sabe, mas quando é feita uma proposta de empréstimo, o dinheiro solicitado não é entregue na hora.

Normalmente, o crédito só é concedido depois de um período de análise que, pode ser mais ou menos extenso, dependendo da quantia solicitada, das garantias dadas, das condições oferecidas e demais fatores. 

Essas e outras informações devem estar presentes no projeto de financiamento apresentado à instituição em questão e, por isso, esse documento deve estar muito bem embasado e detalhado.

Ou seja, é ele quem vai viabilizar a aprovação do financiamento. 

Quando utilizar projetos de financiamento?

Conforme dito anteriormente, os projetos de financiamento podem ser utilizados em diferentes contextos e situações. 

Separamos alguns exemplos para que você possa compreender melhor que cenários são esses.

Confira!

Projetos de financiamento rural

Não é de hoje que o financiamento rural é aceito no Brasil. Para se ter uma ideia, a modalidade existe desde 1965 por aqui.

Mas foi em 1995 que aconteceu o verdadeiro divisor de águas: a criação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Por meio desse incentivo, diferentes linhas de créditos foram criadas com o intuito de oportunizar um desenvolvimento sustentável ao povo do campo.

Com o Pronaf Eco, por exemplo, é possível implementar tecnologias e energias mais limpas nas propriedades rurais. 

O limite de crédito na modalidade é de até R$ 150 mil por beneficiário, e o período de carência é de até cinco anos.

Já o Pronaf Alimentos viabiliza a modernização das estruturas de produção dentro das propriedades e comunidades próximas. 

Nesse caso, o crédito é de até R$ 300 mil por beneficiário, e a carência é de três anos.

Projetos de financiamento coletivo

É um dos queridinhos do momento, especialmente pelas facilidades da sua implementação e os benefícios das novas tecnologias.

Basicamente, qualquer pessoa pode criar uma campanha de crowdfunding em um site, desde que tenha um interesse coletivo envolvido.

Por exemplo, você quer lançar um evento cultural para pessoas de baixa renda na sua cidade, mas não tem capital de giro para contratar algumas atrações.

Nesse caso, as plataformas online de captação de recursos podem ser uma excelente pedida para reunir o montante desejado.

É possível, inclusive, oferecer prêmios para aqueles que se solidarizarem com a causa e fizerem doações.

Financiamento de projetos de investimento

Esta modalidade é utilizada por empresas para a obtenção de aportes em diferentes áreas. 

Na maioria das vezes, esse tipo de financiamento é escolhido para compra de bens como máquinas, equipamentos, veículos e outros.

No entanto, também pode ser usado para reformar espaços físicos e adquirir novos imóveis, por exemplo.

Existem ainda aqueles tipos relacionadas aos aportes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) e também a categorias específicas como os microempreendedores e donos de uma empresa individual

Financiamento projetos de pesquisa e científicos

Sua empresa tem uma ideia inovadora, mas precisa de mais incentivo para coletar dados e fazer testes para analisar a sua viabilidade?

Talvez, o financiamento para projetos de pesquisa seja uma boa opção.

Existem diferentes órgãos e agências de fomento que são responsáveis por fornecer esse tipo de incentivo.

O Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), por exemplo, oferece suporte nas mais variadas áreas do desenvolvimento de soluções: desde a pesquisa básica, sua aplicabilidade, até a eventual criação de produtos e serviços.

Além disso, o fundo impulsiona o crescimento das incubadoras tecnológicas e o fortalecimento dos órgãos de pesquisa, além da criação de parcerias entre instituições de ensino e empresas.

Projetos de financiamentos bancários

As instituições bancárias são as parceiras mais convencionais na hora de pedir um dinheiro emprestado. 

Os projetos de financiamentos bancários exigem uma série de documentos. Por isso, se escolher esse meio, fique bem atento às regras.

Há algumas particularidades que devem ser levadas em conta também.

Cada instituição estipula as suas próprias diretrizes como limite a ser financiado, condições de empréstimo, categorias abarcadas e destinações para o capital. 

Mas a boa notícia é que os bancos informam em seus sites as informações necessárias para a formulação de uma proposta. 

Alguns, inclusive, apresentam modelos para você seguir.

projeto de financiamento

Como é a elaboração de projetos para financiamento?

Agora que você já conhece as diferentes situações em que pode realizar projetos de financiamento, que tal se preparar para fazer uma proposta real com base nas suas próprias necessidades?

Montamos um passo a passo para ajudar você na elaboração desse projeto:

1. Organize suas finanças

Antes de pleitear qualquer tipo de financiamento, é importante a sua empresa estar saudável financeiramente

Pode parecer estranho fazer esse comentário, afinal, se você está recorrendo a um empréstimo, é porque não tem condições de arcar sozinho com determinados custos.

No entanto, qualquer instituição vai verificar seu status de bom pagador antes de analisar uma possibilidade de crédito.

Por isso, é fundamental não ter nenhum cadastro negativo nem o nome sujo em qualquer órgão de proteção ao crédito.

A frase “organizar antes de se endividar” deve ser mais do que apenas um mantra e sim colocada em prática.

Algumas ferramentas como o fluxo de caixa, por exemplo, podem ser úteis nesse controle que tanto falamos. 

2. Saber exatamente o objeto do investimento

Cada instituição possui uma linha de crédito específica e você precisa saber se o seu objeto de investimento é coberto por ela.

Por exemplo, não adianta nada você querer mudar a sede da sua empresa para outro local se a linha de crédito da financiadora não tem cobertura imobiliária.

Sendo assim, tenha a ciência de que está buscando a melhor opção para o que deseja.

3. Apresentar todos os dados necessários

Na hora de criar o projeto, a empresa tem que detalhar ao máximo a sua proposta. 

Por exemplo, é fundamental apresentar o recurso próprio que será usado em contrapartida ao investimento. 

Caso não haja uma receita específica, deve ser montado um plano de captação de recursos que deve conter as seguintes informações:

  • Projeções econômicas
  • Fluxo de caixa para o período do projeto
  • Estudo de cenários (realista, pessimista e otimista)
  • Análise de viabilidade
  • Recomendação de responsável técnico do projeto.

Se o projeto de financiamento envolver recursos estruturais, relacionados com a construção civil, outros dados devem ser informados, atestando a regularidade dos prédios, como, por exemplo:

  • Projetos estruturais e arquitetônicos
  • Memorial descritivo da construção
  • Alvará de funcionamento e licença da empresa.

Não entregar qualquer um desses documentos tem consequências. Não só atrasará a obtenção do financiamento, devido a dificuldade de análise, como também vai diminuir a sua credibilidade com a instituição. 

Por isso, todo cuidado é pouco na hora de providenciar a papelada.

4. Formalize a melhor alternativa de crédito para a sua empresa

Com base em todas essas informações, você já pode escolher a opção que mais se encaixa com a realidade da sua empresa.

Existem duas modalidades básicas de crédito: financiamentos de investimentos fixos e recursos para capital de giro.

A primeira é uma operação de longo prazo e, conforme o próprio nome já diz, voltada para ativos fixos, como elementos da infraestrutura da empresa.

Costuma ter um impacto menor no fluxo de caixa, pois são contratados por prestações a perder de vista e utilização de carência com taxas mais baixas.

Já os recursos para capital de giro contam com prazos mais curtos e servem para cobrir custos operacionais e compromissos financeiros. 

Curso de Projetos para Financiamento

Quer trabalhar com projetos para financiamento? 

A AIEC – Associação Internacional de Educação Continuada – oferece um curso completo. 

O MBA em Projeto de Financiamento foi pensado para profissionais que desejam se especializar na obtenção de recursos para o crescimento de projetos e empresas. 

Venha para a única faculdade de ensino a distância do Brasil com reconhecimento do Ministério da Educação (MEC) e certificação internacional de qualidade – o ISO 9001.

O que estuda?

Para desenvolver o curso, a AIEC analisou quais são as exigências de diversos bancos para a captação de recursos. 

Como conclusão, foram adotadas as normas do Banco do Brasil, que apresentam alto rigor.

Assim, você vai ter contato com as melhores práticas, seja trabalhando como autônomo ou atuando em uma empresa.

Para garantir experiência prática, o aluno é desafiado a elaborar projetos de financiamento ao longo do curso, utilizando como base uma planilha desenvolvida pela AIEC especialmente para os inscritos.

A seguir, veja alguns dos tópicos abordados ao longo das aulas do MBA.

Grade curricular

  • Contabilidade empresarial
  • Marketing empresarial
  • Projeto empresarial
  • Project finance
  • Matemática financeira aplicada
  • Gestão de projetos
  • Projeto de financiamento
  • Trabalho de conclusão de curso. 

Carga horária

Com oito disciplinas, o MBA em Projeto de Financiamento totaliza 540 horas/aula, que são distribuídas em três semestres letivos.

Projetos de financiamento EaD

Outro diferencial do curso oferecido pela AIEC é a oferta na modalidade EaD, que permite ampla flexibilidade de horários, mas sem abrir mão da qualidade de ensino que você busca.

Para isso, são oferecidos:

  • Materiais com hiperlinks, animações, gráficos e imagens
  • Exercícios on-line com correção imediata
  • Atendimento de dúvidas e debates a partir de ferramentas virtuais
  • Provas presenciais.

Por que estudar Projetos de Financiamento?

Você sabia que muitas empresas deixam de conseguir financiamento junto aos bancos simplesmente por falta de conhecimento na hora de fazer a solicitação? 

Pois é, essa ainda é uma realidade bastante frequente no cenário brasileiro.

Agora, considere que, em 2018, cerca de 52 milhões de brasileiros em idade produtiva estavam envolvidos em atividades empreendedoras, segundo o Global Entrepreneurship Monitor

Combinando as duas realidades, temos um mercado fértil para profissionais especializados na elaboração de projetos de financiamento.

Para se ter uma ideia da lucratividade que é possível atingir, vamos simular um exemplo. 

Imagine que uma empresa precise de R$ 2 milhões e decide contratar um consultor para elaborar um projeto de captação de financiamento. 

Em média, o custo do trabalho desse profissional equivale a 3% do valor negociado – nesse caso, o equivalente a R$ 60 mil.

Portanto, quanto mais experiência você tiver, maiores são as chances de aumentar a sua rede de clientes e de ampliar a sua margem de lucro.

Pronto para dar esse salto de crescimento na sua carreira profissional?

projeto de financiamento

Conclusão

Você viu, neste artigo, que os projetos de financiamento são recursos muito valiosos para colocar em prática boas ideias.

Existem diferentes modalidades. Por isso, é importante conhecê-las, a fim de identificar qual delas mais combina com o seu objetivo.

Não deixe de realizar o seu sonho e o da sua empresa por falta de capital. Procure as alternativas de incentivo. 

Agora, se a sua intenção é trabalhar nessa área, vale apostar em qualificação profissional. 

Como mencionamos, o MBA em Projeto de Financiamento da AIEC é um curso completo, feito para quem quer construir carreira e se destacar no mercado de trabalho. 

E, então, gostou do nosso artigo sobre projetos de financiamento? 

Se você achou esse conteúdo relevante, compartilhe com seus amigos nas redes sociais e não se esqueça de deixar um comentário sobre o que acabou de ler no espaço logo abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *